A culinária como patrimônio cultural imaterial

Autores

  • Adelina Padilha de Souza Della Giustina

Resumo

A identidade, o sabor e o saber fazer qualificam a culinária como patrimônio imaterial de uma cultura, é a manifestação da memória e da história numa atividade tida como corriqueira, mas que é de fácil percepção e entendimento como parte do passado. O colonizador italiano, no município de Orleans, contribuiu no desenvolvimento dos hábitos alimentares atuais com sua culinária adaptada aos recursos disponíveis, transformando-a e enriquecendo-a. Esta cultura alimentar está representada no Museu ao Ar Livre de Orleans – MALO – por meio do acervo que conta com utensílios, ferramentas e máquinas utilizadas na transformação e preparo dos
alimentos. A museologia considera o museu uma instituição que pesquisa, preserva e comunica e, como tal, está em constante busca pela ampliação do conhecimento. Com este objetivo, a presente pesquisa identificou por meio da história oral a relação entre o acervo do museu, o saber fazer e a memória cultural deste povo para gerar conhecimento que possa ser agregado aos objetos expostos no MALO.