Relações epistolares: a rede de sociabilidade intelectual de Pedro Nava através das cartas

Autores

  • Greyce Kely Piovesan Comunitária Regional de Chapecó

Palavras-chave:

Corantes alimentícios, Fotodegradação, Toxicidade, Eritrosina, Carmim de Cochonilha.

Resumo

A organização dos arquivos pessoais tem contribuído para os estudos que envolvem personalidades do mundo cultural e político, aproximando o pesquisador dos documentos e incentivando pesquisas que se utilizam de fontes não-oficiais. Este artigo tem como foco o arquivo de Pedro Nava, concentrando-se na correspondência recebida pelo memorialista no período posterior à publicação de
seu primeiro livro de memórias, Baú de Ossos, em 1972. Objetivase, com isso, mapear a rede social-intelectual em que Nava circulou e que contribuiu para o reconhecimento de suas obras memorialísticas. A troca epistolar entre Pedro Nava e outros intelectuais serviu como uma forma de aproximação em meio a uma rede de sociabilidade maior. O estudo destas correspondências pessoais permite conhecer melhor as tramas do campo intelectual brasileirodo período temporal selecionado a partir de um fragmento deste macrocampo.