Cenas fatídicas

experiências suicidas dos escravizados no Maranhão (1834-1888)

Autores

  • Pollyanna Gouveia Mendonça Muniz Universidade Federal do Maranhão
  • Carlos Victor de Sousa Ferreira Universidade Federal do Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.22562/2020.53.02

Palavras-chave:

Suicídio, Escravidão, Maranhão

Resumo

O suicídio foi comportamento recorrente entre os escravizados. As relações de forças cotidianas, os conflitos internos gerados pelo sistema escravista, contribuíram para isso. Nesse sentido, o presente estudo apresenta os resultados finais da pesquisa desenvolvida no Mestrado em História Social da Universidade Federal do Maranhão, acerca da análise das experiências dos suicídios ocorridos na província. Foi realizado uma extensa pesquisa documental em vários setores de arquivamentos de documentos. Através dos suicídios é possível analisar as relações cotidianas, os perfis sociais, as subjetividades escravas e as afetividades. Esse estudo permite observar outras formas de relações sociais desenvolvidas pelos escravizados, possibilitando novas formas de análises e fugindo da dicotomia escravo-senhor.

Biografia do Autor

Pollyanna Gouveia Mendonça Muniz, Universidade Federal do Maranhão

Doutora em História, professora de Licenciatura em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros (UFMA), membro do corpo permanente do Programa de Pós-Graduação em História (PPGHIS/UFMA).

Carlos Victor de Sousa Ferreira, Universidade Federal do Maranhão

Mestre em História Social (PPGHIS/UFMA), Especialista em Supervisão, Gestão e Planejamento educacional (IESF/MA). Licenciado em História (Santa Fé – IDESP – MA).

Publicado

2020-12-18