Identidade nacional e design gráfico: discussão através da análise de reclames do Parque Souza Soares (Pelotas/RS)

Autores

  • Paula Garcia Lima
  • Francisca Ferreira Michelon

Resumo

O presente trabalho intenta discutir a existência de identidades
nacionais, bem como de sua representação através do design, partindo
da hipótese colocada por Cardoso1 (2000 e 2005), autor de
referência para este trabalho, de que até o final dos anos 1950 e
1960 foi um momento em que para a produção gráfica brasileira
não importava as influências de modelos estéticos estrangeiros reconhecidos
como do construtivismo, neoplasticismo, Bauhaus e
Ulm. Para orientar este debate nos debruçamos na análise de peças
gráficas que remontam, possivelmente, as três primeiras décadas
do século XX. Estas peças foram produzidas para o laboratório
farmacêutico do Parque Souza Soares que funcionou na cidade de
Pelotas, Rio Grande do Sul e, segundo a hipótese apontada, enquadram-
se como portadoras de uma legítima identidade brasileira
no design. A partir desse estudo de caso buscamos refletir sobre
a existência de uma identidade nacional no design e os meandros
envolvidos neste processo.

Edição

Seção

Artigos