LEVANTAMENTO DA FERTILIDADE DO SOLO DE PROPRIEDADES RURAIS DO MUNÍCIPIO DE CHAPECÓ - SC: UM ESTUDO DE CASO

Levantamento da fertilidade do solo

Autores

  • Alana Maria Polesso UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ
  • Evandro Spagnollo Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - EPAGRI/CEPAF/CHAPECÓ
  • Carolina Riviera Duarte Maluche Baretta UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v18i1.5296

Palavras-chave:

Entrevistas, Mídias Sociais, Professores, Tecnologia

Resumo

O manejo da fertilidade do solo é a base para a busca do aumento da produtividade e inclui a análise de solo como medida para correção da acidez e, posteriormente, aplicações de fertilizantes. O estudo objetivou caracterizar a fertilidade média de áreas rurais do município de Chapecó - SC, a partir do banco de dados de análises realizadas nos anos de 2016 e 2017 fornecido pelo Laboratório de Solos da Epagri - Chapecó. Foram avaliados 147 laudos e interpretados os seguintes atributos químicos do solo: pH - água, saturação por alumínio (m%), capacidade de troca de cátions a pH 7,0 (CTCpH7,0), fósforo (P), potássio (K), matéria orgânica do solo (MOS), cálcio (Ca), magnésio (Mg) e saturação por bases (V%). Os teores dos nutrientes foram interpretados segundo suas classes de disponibilidade conforme o Manual de Calagem e Adubação para os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, e analisados por estatística descritiva. A maior frequência de pH ocorreu para valores menores que 5,5 (53%) e entre 5,5 e 5,9 (30%). Para a V% das amostras 9% dos laudos de solo apresentaram valores ≥ 85%, 47% valores de 65 - 74%, 39% valores de 75 a 84%; e apenas 5% destes valores <65%. Praticamente 50% dos laudos das classes texturais 1, 2 e 3 apresentam teores muito alto a alto de P; com 46% dos laudos com teores muito baixo e 21% baixo de P na classe textural 4. Para a CTCpH 7,0 69% dos laudos tiveram CTC média (7,6 – 15 cmolc dm-3) com 100% destas amostras na classe de disponibilidade muito baixo.  Nas demais CTCs encontradas a maior frequência dos valores de K ocorreu nas faixas muito alto e alto. Os teores de Ca e Mg tiveram frequência alta (86 e 93%, respectivamente). A MOS apresentou em 93% dos laudos teor médio. Os resultados mostram a necessidade de um cuidado por parte dos produtores e assistência técnica para adequação das doses de nutrientes como o P, Ca e Mg; bem como um cuidado quanto a correção do pH e aumento dos níveis de K em grande parte dos laudos analisados.

Biografia do Autor

Alana Maria Polesso, UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ

Engenheira Agrônoma, Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Unochapecó.

Evandro Spagnollo, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - EPAGRI/CEPAF/CHAPECÓ

Engenheiro Agrônomo,  Dr. em Ciência do Solo, Pesquisador  do Laboratório de Solos da Epagri, Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar - Cepaf

Carolina Riviera Duarte Maluche Baretta, UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ

Area das Ciências Exatas e Ambientais, Professora titular, Doutora em Agronomia.

Publicado

2021-01-17