Os EXTRATOS VEGETAIS AQUOSOS PARA O TRATAMENTO DE SEMENTES DE CÁRTAMO

Tratamento de sementes alternativos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v18i1.5821

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade fisiológica e sanitária de sementes de cártamo (Carthamus tinctorius L.) tratadas com diferentes extratos vegetais aquosos. O experimento foi realizado em delineamento inteiramente casualizado, em fatorial 2x10 (dois lotes de sementes e dez combinações de extratos vegetais aquosos e concentrações), com quatro repetições. Os lotes de sementes de cártamo são provientes do campo (Lote A) e da estufa (Lote B), na safra 2016/2017, após serem colhidos foram armazenados em câmara fria, com grau de umidade médio de 9,0%. Os extratos aquosos foram elaborados a partir de folhas de cinamomo (Melia azedarach L.), crisântemo (Dendranthema grandiflora Tzvelev) e tagetes (Tagetes erecta L.), nas concentrações de zero (testemunha), 1%, 5% e 10% na proporção massa/volume (g de folhas frescas 100 mL-1 água destilada). Avaliaram-se as qualidades fisiológica e sanitária pelos testes padrão de germinação, comprimento e massa de plântulas, emergência e sanidade. Conclui-se que a aplicação dos extratos vegetais aquosos como tratamento de sementes de cártamo foi benéfica para o controle patógenos sobre as mesmas, incrementando seu potencial de germinação e de emergência no campo.

Biografia do Autor

Janine Farias Menegaes, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Eng. Agrônoma, Drª em Agronomia, Departamento de Fitotecnia da UFSM

Publicado

2021-01-18