SUICÍDIO NO MEIO RURAL: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

  • Bruna Caroline Schoeninger
  • Marcia Luiza Pit Dal Magro Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó

DOI:

https://doi.org/10.22295/grifos.v30i53.5977

Palavras-chave:

Agricultor; Rural; Suicídio; Revisão integrativa.

Resumo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o suicídio se configura como um sério problema de saúde pública, sendo que as mortes por suicídio têm aumentado nas últimas décadas. As mortes autoprovocadas também afetam os contextos rurais, que vem passando por transformações importantes nos modos de vida e trabalho. Este artigo teve como objetivo analisar como a produção científica publicada no período de 2013 a 2018 abordou o fenômeno do suicídio no meio rural. Para tanto, foi realizada revisão integrativa, a partir de das bases de dados Google Acadêmico e Biblioteca Virtual de Saúde, tendo sido selecionados 17 artigos para análise. Foram elaboradas três categorias a partir dos resultados encontrados, que mostram os principais temas abordados pelos estudos. O primeiro diz respeito ao suicídio relacionado às transformações de vida e de produção no meio rural, que foi mencionado em 5 artigos. O segundo tema mais abordado foi a relação entre o uso de agrotóxicos e o suicídio, mencionado por 11 artigos. O último se refere às características demográficas e étnicas nos contextos rurais, em que se destaca a relação entre suicídio, sexo e idade, e estudos que analisam a ocorrência de suicídios entre as etnias alemã e indígena. Conclui-se que os estudos dão ênfase a fatores de riscos específicos como o uso de agrotóxicos, tendo uma lacuna de estudos que integrem diferentes fatores de risco. Há ausência de estudos que tragam como ênfase modos de prevenção do suicídio nos contextos rurais.

Biografia do Autor

Marcia Luiza Pit Dal Magro, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó

Doutora em Psicologia pela UFSC com estágio sanduíche na Universitat Autnònoma de Barcelona (2012). Mestre em Psicologia pela UFSC (2006). Graduada em Psicologia pela UNOCHAPECÓ (2003). Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais e do Curso de Psicologia da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Atua principalmente nos seguintes temas: saúde do trabalhador, psicologia social e do trabalho.

Referências

ALENCAR, Ana; PEDRO, Antonio Fernando Pinheiro. Brasil, campeão no uso de agrotóxicos. 05 maio 2019. Disponível em: <http://www.ambientelegal.com.br/brasil-campeao-no-uso-de-agrotoxicos/>. Acesso em: 03 jun. 2019.

ANDRADES, Thiago Oliveira de; GANIMI, Rosângela Nasser. Revolução verde e apropriação capitalista. CES Revista, Juiz de Fora, v.21, p. 43-56, 2007.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Petrópolis:

Vozes, 1998.

DEJOURS, Cristophe; FLORENCE, Bègue. Suicídio e trabalho: o que fazer? Brasília:

Paralelo 15, 2010. 128 p.

FRANCISCO, W. D. Revolução Verde. 05 maio 2019. Disponível em:

<https://brasilescola.uol.com.br/geografia/revolucao-verde.htm>. Acesso em: 10 jun. 2019.

GONÇALVES, Ludmilla R; GONÇALVES, Eduardo; OLIVEIRA JÚNIOR, Lourival Batista de. Determinantes espaciais e socioeconômicos do suicídio no Brasil: uma abordagem regional. Nova econ., Belo Horizonte, v. 21, n. 2, maio/ago. 2011.

HESS, Sonia Corina (Org.). Ensaios sobre poluição e doenças no Brasil. 1. ed. São Paulo:

Outras Expressões, 2018. 344 p.

LAZZARI, Francini Meneghini; SOUZA, Andressa Silva. Revolução verde: impactos sobre

os conhecimentos tradicionais. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITO E CONTEMPORANEIDADE, Santa Maria, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Anais..., 8-10 nov. 2017.

LOPES, Carla Vanessa Alves; ALBUQUERQUE, Guilherme Souza Cavalcanti de. Agrotóxicos e seus impactos na saúde humana e ambiental: uma revisão sistemática. Saúde Debate [online], Rio de Janeiro, v. 42, n. 117, p. 518-534, 2018.

MARTINS, F. O suicídio do povo indígena. [s.d.]. Disponível em:

<https://www.cvv.org.br/blog/o-suicidio-do-povo-indigena/>. Acesso em: 26 jun. 2019.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro:

Vozes, 2001.

MORIN, Pâmela Vione; STUMM, Eniva Miladi Fernandes. Transtornos mentais comuns em agricultores, relação com agrotóxicos, sintomas físicos e doenças preexistentes. Psico, Porto Alegre, v. 49, n. 2, 2018.

OPAS BRASIL. Folha informativa - Suicídio. Agosto de 2020. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5671:folha-informativa-suicidio&Itemid=839>. Acesso em: 22 dez. de 2020.

OMS, Organización Mundial de la Salud. Prevención del suicidio: un imperativo global. Washington, DC: OPS, 2014. Disponível em: < https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/136083/9789275318508_spa.pdf;jsessionid= F6D5521F104E887836EBCD61AF0F3C96?sequence=1>. Acesso em: 20 jun. de 2019.

SANTOS, Simone Agadir; LEGAY, Letícia Fortes; LOVISI, Giovanni Marcos. Substâncias tóxicas e tentativas e suicídios: considerações sobre acesso e medidas restritivas. Cad. saúde. colet., Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 53-61, 2013.

SCHNEIDER, Sérgio. Teoria social, agricultura familiar e pluriatividade. Rev. bras. Ci. Soc.

[online], São Paulo, v. 18, n. 51, p. 99-122, 2003.

SOULET, Marc-Henry. La souffrance sociale, pathologie des sociétés contemporaines.

Étique publique, v. 11, n. 2, 2009.

SOUZA, Marcela Tavares de; SILVA, Michelly Dias da; CARVALHO, Rachel de. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, 2010.

THIOLLENT, Michel Jean-Marie; DORIGON, Clovis. Estudo das condições de vida, trabalho e saúde de produtores rurais: a contribuição de Michèle Salmona. Organizações Rurais & Agroindustriais, Minas Gerais, v. 16, n. 3, p. 376-387, 2014.

WERLANG, Rosangela. Pra que mexer nisso? Suicídio e sofrimento social no meio rural.

Doutorado em psicologia social e institucional. Tese (Doutorado em Psicologia Social e

Institucional) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2013a.

WERLANG, Rosangela; MENDES, Jussara Maria Rosa. Pluriatividade no meio rural: flexibilização e precarização do trabalho na agricultura familiar. Em Pauta, Rio de Janeiro, v. 14, n. 38, p. 140-163, jul. 2016.

WERLANG, Rosangela; MENDES, Jussara Maria Rosa. Sofrimento social. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 116, p. 743-768, out./dez. 2013b.

WHO – World Health Organization. Prevenção do suicídio um recurso para

conselheiros. Genebra: WHO, 2006. Disponível em:

<http://www.who.int/mental_health/media/counsellors_portuguese.pdf>. Acesso em: 20 jun.

Publicado

2021-06-14

Como Citar

Schoeninger, B. C. ., & Magro, M. L. P. D. (2021). SUICÍDIO NO MEIO RURAL: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. Revista Grifos, 30(53), 195-216. https://doi.org/10.22295/grifos.v30i53.5977