As relações entre cativos: pertencendo a uma(s) família(s)

Autores

  • Renilda Vicenzi Unochapecó

Palavras-chave:

Impacto do treinamento no trabalho, Suporte á transferência de treinamento, Comprometimento organizacional, Entrincheiramento Organizacional

Resumo

Cativos, libertos ou livres na sociedade colonial e imperial brasileira viviam de formas diferenciadas e semelhantes. As semelhanças estão nas relações que estabeleciam com os seus – grupo de pertencimento – e com os demais. Neste sentido, encontramos nas fontes de registros eclesiásticos as diversidades de relações parentais, consanguíneas e de afinidade. Na pia batismal, pais ou mães “escolhiam” os padrinhos através da troca de cuidados e benefícios, quer com livres, libertos ou escravos. Com o matrimônio, constituía-se uma nova família de escravos e instituíam-se novos padrões comportamentais entre o casal e seu senhor. As diferenças estão na condição e na manutenção da sociedade escravista.

Biografia do Autor

Renilda Vicenzi, Unochapecó