Museu para a globalização

Autores

  • Néstor García Canclini

Resumo

A globalização dá sinais de seu fim e o objetivo deste texto é pensar como seria um museu que a representasse. O que será guardado, o que será exposto e o que não deve ser preservado? Um museu para a globalização precisa dar conta de paradoxos e incoerências. Sua museografia, em constante mudança, provocará o visitante sobre a produção e o consumo, e exporá a sensação de medo que se tem diante da violência, sem estetizar o horror. O desafio do Museu da Globalização é evidenciar a disputa, ser crítico e, ao mesmo tempo, atrair a atenção do visitante.

Publicado

2014-12-29

Edição

Seção

Artigos