A rede cearense de museus comunitários: processos e desafios para a organização de um campo museológico autônomo

Autores

  • Alexandre Gomes
  • João Paulo Vieira

Palavras-chave:

Educação Não-Formal

Resumo

Há alguns anos, populações de diversas regiões do Ceará iniciaram processos que resultaram em práticas museais que, embora originadas em diferentes contextos políticos e diferentes grupos sociais e étnicos, assemelham-se quanto à participação e a apropriação comunitária do patrimônio e da memória local, como ferramentas de afirmação, preservação e defesa de territórios, ecossistemas e referências culturais. Destacam-se nesses processos a diversidade cultural, social e museal: são museus indígenas, ecomuseus, museus comunitários e outros. O presente artigo busca compreender a criação da Rede Cearense de Museus Comunitários, em 2011, e apresenta reflexões sobre as ações, motivações e desafios que impulsionaram a articulação entre diferentes populações que vivenciam em seus territórios processos museológicos autogeridos.

Publicado

2014-12-31

Edição

Seção

Artigos