Cotidiano, cultura e resistência

Terra Indígena Guarani do Pico do Jaraguá-SP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22562/2021.54.19

Palavras-chave:

Povos Indígenas, Guarani Mbya, Conflito

Resumo

Este artigo tem o intuito de refletir sobre a presença dos povos indígenas nos territórios urbanos, em especial os Guarani Mbya, localizados na zona noroeste da cidade de São Paulo, destacando a importância da preservação e estruturação dos territórios indígenas para a reprodução e a sobrevivência de suas culturas. Para essa reflexão, partiremos de uma revisão bibliográfica com o objetivo de entender as noções de território indígena  e território urbano, contrapondo a ótica guarani de ocupação e reprodução com a ótica capitalista de se articular no espaço. Na sequência, olharemos para a presença dos povos indígenas na cidade de São Paulo e seus desafios, observando, em particular, os Guarani Mbya com seu modo de viver e ocupar a terra, para ressaltar as formas de violência e os processos de exclusão aos quais esses povos foram submetidos, que, todavia, resistem e sobrevivem na cidade.

Biografia do Autor

Robson Silva Oliveira, Universidade do Vale do Paraíba

Mestre em Planejamento Urbano e Regional (UNIVAP). Graduado em História (UNIVAP). Universidade do Vale do Paraíba/Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento.

Maria Aparecida Papali, Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP)

Possui graduação em História pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), concluiu Mestrado em História do Brasil na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), em 1996, e o Doutorado em História Social também na PUC em 2001. Atualmente, é professora doutora da Universidade do Vale do Paraíba, atuando na Graduação (Curso de História e Geografia) e na Pós-Graduação, como docente permanente do Mestrado e Doutorado em Planejamento Urbano e Regional, na Linha de Pesquisa “Sociedade, Espaço e Cultura”. É coordenadora do Núcleo de Pesquisa “Pró-Memória São José dos Campos”, do Laboratório de Pesquisa e Documentação Histórica/ IP&D/UNIVAP e do Centro de História e Memória (CEHVAP) da UNIVAP.

Cilene Gomes, Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP)

Docente e Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional da Universidade do Vale do Paraíba (SP). Arquiteta-urbanista, com Mestrado e Doutorado em Geografia Humana.

Publicado

2021-06-16