Boas práticas em educação museal

Roteiro de memória do Ecomuseu da Amazônia na ilha de Caratateua, Belém, Pará, Brasil

Autores

  • Adrielson Furtado Almeida Universidade Federal do Pará
  • Terezinha Martins Ecomuseu da Amazônia

DOI:

https://doi.org/10.22562/2021.54.01

Palavras-chave:

Educação, Patrimônio, Visitação

Resumo

A Ilha de Caratateua pertence ao município de Belém, Estado do Pará, região Norte do Brasil. Após a interligação rodoviária pela ponte Enéas Pinheiro (1986) houve um aumento demográfico da ilha, que provocaram várias mudanças ambientais e a miscigenação cultural, deixando em segundo plano a sua própria história. Este trabalho objetiva apresentar três roteiros de memória do Ecomuseu da Amazônia na Ilha de Caratateua, Belém, Pará, Brasil. Bem como apresentar uma síntese da formação histórica do território da Ilha de Caratateua e do seu acervo patrimonial, com as práticas culturais, ações de cidadania e preservação do meio ambiente. Os três roteiros abrangem 10 pontos de visitação, que incluem mestres e mestras de cultura popular, produtores culturais, locais de manifestação de fé, sítio, quintal produtivo, balneário, praias e a sede do Ecomuseu da Amazônia. Conclui-se que os roteiros de memória da Ilha de Caratateua atendem aos objetivos da Política Nacional de Educação Museal (PNEM) e da carta de princípios da Associação Brasileira de Ecomuseus e Museus Comunitários (ABREMC) ao realizarem práticas educacionais em uma instituição museológica, através de ações e processos em educação museal, que podem servir de inspiração à outras organizações e processos museais.

Biografia do Autor

Adrielson Furtado Almeida, Universidade Federal do Pará

Graduado em Turismo pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Especialista em Gestão Ambiental (Núcleo de Meio Ambiente - NUMA/UFPA). Mestre e Doutor em Ciências Ambientais pelo Instituto de Geociências, Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Universidade Federal do Pará (IG/PPGCA/UFPA). Com estágio de doutorado sanduíche no Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento de Território (CEGOT) da Universidade de Coimbra (UC/ Portugal). Parceiro e voluntário do Ecomuseu da Amazônia (2010-2012/ 2019-2020).

Terezinha Martins, Ecomuseu da Amazônia

Graduada em Letras pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Graduada em Pedagogia (UFPA). Especialista em Didática e Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Estácio de Sá. Especialista em Gestão Escolar pela Universidade da Amazônia (UNAMA). Mestra em Planejamento e Gestão Ambiental pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Doutora em Gestão Integrada de Recursos Naturais (UCB). Uma das fundadoras e coordenadora do Ecomuseu da Amazônia (2007-2020). Presidenta da Associação Brasileira de Ecomuseus e Museus Comunitários (ABREMC).

Publicado

2021-06-16