As empreiteiras e a rodovia Transamazônica

Interesses econômicos e impactos sociais em um grande projeto da ditadura brasileira

Autores

  • Pedro Campos Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.22562/2021.55.05

Palavras-chave:

empreiteiras de obras públicas, Transamazônica, ditadura brasileira

Resumo

O presente artigo pretende problematizar o papel dos interesses empresariais das empreiteiras brasileiras de obras públicas na concepção e realização da obra da rodovia Transamazônica durante o período da ditadura. As construtoras nacionais cresceram significativamente antes e durante o regime sob forte proteção estatal, desenvolvendo uma especialização na realização de obras de estradas de rodagem. A Transamazônica representou uma grande oportunidade de ganhos para esses e outros grupos econômicos, apesar dos intensos impactos gerados para os trabalhadores, o meio ambiente e os povos indígenas locais. Depois desse projeto, as empresas brasileiras de engenharia se capacitaram para realizar empreendimentos similares no exterior. Para proceder a análise, utilizamos fontes produzidas por empresários e imprensa técnica que cobria o setor da indústria da construção pesada no período.

Biografia do Autor

Pedro Campos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Doutor em História pela UFF e professor do Departamento de História da UFRRJ.

 

Publicado

2021-12-03