A Amazônia no discurso ditatorial brasileiro

Notas introdutórias

Autores

  • Anderson Vieira Moura Universidade Federal do Amazonas

DOI:

https://doi.org/10.22562/2021.55.01

Palavras-chave:

Getúlio Vargas, Emílio Médici, Ditadura

Resumo

Em um intervalo de trinta anos, dois ditadores brasileiros – Getúlio Vargas e Emílio Garrastazu Médici – se voltaram à região amazônica com um problema (o suposto vazio demográfico) e sua solução (migração de trabalhadores nordestinos castigados pela seca). No entanto, a ideia de um vasto território despovoado e consequentemente alvo fácil para invasores é bem mais antiga e surge praticamente com a colonização portuguesa na Amazônia, no início do século XVII. Ao fim e ao cabo, as duas ditaduras instaladas no Brasil no século XX possuíam uma visão muito semelhante acerca da Amazônia e chegaram a mesma conclusão, mesmo estando em contexto completamente diferentes.

Biografia do Autor

Anderson Vieira Moura, Universidade Federal do Amazonas

Doutor em História Social pela Universidade Estadual de Campinas. Professor adjunto do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Vice-coordenador do Laboratório de Estudos sobre História Política e do Trabalho na Amazônia (LABUHTA).

Publicado

2021-12-03