A DIMENSÃO EDUCATIVA E O FAZER PEDAGÓGICO NO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.5574

Resumo

O presente artigo é fruto das pesquisas realizadas em educação popular na sua estreita articulação com os movimentos sociais, tendo a colaboração do Programa de Educação Tutorial – PET Educação do Campo e Movimentos Sociais, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Tem como objetivo central apresentar reflexões realizadas nos últimos anos acerca da dimensão educativa e o fazer pedagógico no contexto do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a formação dos educadores populares e sua participação enquanto seres históricos e culturais. Utilizamos, predominantemente, a pesquisa bibliográfica e documental, em especial, os Cadernos e as Cartilhas do MST. Concluímos que a educação popular, como práxis libertadora, é utilizada no processo de compreensão das lutas e demandas educacionais defendida pelo MST. Ela dialoga com os gestos, desejos, valores e a luta pela reforma agrária popular.

Biografia do Autor

Ramofly Bicalho, UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Doutor em Educação (UNICAMP). Pós-Doutorado em Educação (UFF). Docente UFRRJ – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. E-mail: ramofly@gmail.com

Referências

BICALHO, Ramofly. Interfaces da educação do campo e movimentos sociais: possibilidades de formação. Revista Pedagógica, v. 20, p.81-100, 2018.

BICALHO, Ramofly. História da educação do campo no Brasil: o protagonismo dos movimentos sociais. Teias, v. 18, n. 51, p. 210-224, out./dez. 2017.

BICALHO, Ramofly; SILVA, M. A. Políticas públicas em educação do campo: PRONERA, PROCAMPO e PRONACAMPO. Revista Eletrônica de Educação, v. 10, n. 2, p. 135-144, 2016.

BICALHO, Ramofly. Interfaces entre escolas do campo e movimentos sociais no Brasil. Revista Brasileira de Educação do Campo, v. 1, n. 1, p. 26-46, jan./jun. 2016.

BICALHO, Ramofly. Os movimentos sociais do campo e a formação do educador. Textura Canoas, v. 18, n. 17, p. 5-26, maio/ago. 2018.

BOGO, Ademar. Poesia quando chegar na terra. Terra Sertaneja – Vozes Sem Terra. Letras de músicas. São Paulo, 2002.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A educação popular na escola cidadã. São Paulo: Editora Vozes, 2002.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é Método Paulo Freire. São Paulo: Brasiliense, 2006.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é Educação Popular. São Paulo: Brasiliense, 2006.

COUTINHO, Carlos Nelson. Intervenções – O Marxismo na Batalha das Ideias. São Paulo: Cortez, 2006.

COUTINHO, Carlos Nelson. Cultura e Sociedade no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

COUTINHO, Carlos Nelson. Ler Gramsci – Entender a Realidade. São Paulo: Civilização Brasileira, 2011.

FERNANDES, Bernardo Mançano. MST: formação e territorialização. São Paulo: Hucitec, 1999.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Política e Educação. 5. ed. São Paulo: Cortez, 1991.

FREIRE, Paulo; TORRES, Carlos Alberto. Estado e Educação Popular na América Latina. Campinas: Papirus, 1992.

GOHN, Maria da Glória. História dos movimentos e lutas sociais. São Paulo: Loyola, 1995.

HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multi-territorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2004.

MACIEL, Karen de Fátima. O pensamento de Paulo Freire na trajetória da educação popular. Educação em Perspectiva, v. 2, n. 2, p. 326-344, jul./dez. 2011.

MASSELLI, Maria Cecília. Extensão Rural entre os sem-terra. Piracicaba: Editora UNIMEP, 1998.

MST. Caderno de Formação, nº 30. Gênese e desenvolvimento do MST. São Paulo, 1998.

MST. Cartilha de Saúde, nº 5. Construindo o conceito de saúde do MST. São Paulo, 2000.

MST. Caderno de Educação, nº 8. Princípios da educação no MST. São Paulo, 2000.

NEVES, Lúcia Maria Wanderley. O mercado do conhecimento e o conhecimento para o mercado: da formação para o trabalho complexo no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: EPSJV, 2008.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. Prefácio. In: FERNANDES, Bernardo Mançano. MST: formação e territorialização. São Paulo: Hucitec, 1999.

PORTELLI, Alessandro. Tentando aprender um pouquinho: algumas reflexões sobre a ética na História Oral. Revista do Programa de Estudos Pós-graduados em História, n. 15, 1997.

POKER, José Geraldo Alberto B. A prática da vida e os desencontros da “libertação”. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, São Paulo, 1994.

SAMPAIO, Plínio de Arruda. In: MST – XVII encontro estadual, textos para estudo e debate. Iaras, SP: 2001.

Publicado

2021-03-04

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua