O DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES E COMPETÊNCIAS COM O MÉTODO ABP NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.5585

Resumo

O presente artigo objetiva examinar o uso da prática pedagógica Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP), apoiada pelas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), como componente estimulador do processo de aprendizagem e como desenvolvedora de habilidades e competências nos discentes do ensino profissional. Justifica-se a investigação pela identificação das práticas pedagógicas que darão suporte ao novo panorama da educação no século 21 face às expressivas alterações permitidas pelos cenários tecnológicos sustentadores da chamada sociedade digital, esta exigente em termos de habilidades e competências ligadas à Indústria 4.0. A metodologia adotada consiste no acompanhamento das fases do programa Startup in School (que adota o método ABP), patrocinado pelo Google e realizado pela empresa Ideias de Futuro, em parceria com o Centro Paula Souza, aplicado em escolas técnicas profissionais. Considera-se, ao final, que a prática se adequa às novas exigências de ensino e prepara os participantes para o ambiente da Indústria 4.0.

Biografia do Autor

Carlos Vital Giordano, Centro Paula Souza.

Doutor do Programa de Mestrado Profissional em Educação do Centro Paula Souza. E-mail: giordanopaulasouza@yahoo.com.br

Lilian Amatucci Gazoti, Centro Paula Souza.

Mestre pelo Programa de Mestrado Profissional em Educação do Centro Paula Souza. Professora em Etec. E-mail: lilian.amatucci@hotmail.com 

Referências

ALVES-MAZZOTTI, Alda Judith. Usos e abusos dos estudos de caso. Cad. Pesqui., v. 36, n. 129, p. 637-651, dez. 2006.

AUSUBEL, D.P.; NOVAK, J.D.; HANESIAN, H. Educational psychology: a cognitive view. 2.ed. Nova York; London: Holt, Rinehart and Winston, 1978.

BENDER, W. N. Aprendizagem Baseada em Projetos: educação diferenciada para o século XXI. Porto Alegre: Penso, 2014.

BOSS, S., KRAUSS, J. Reinventing Project-based learning: your field guide to real-world projects in the digital age. Washington: International Society for Technology in Education, 2007.

BUCK INSTITUTE FOR EDUCATION. Aprendizagem Baseada em Projetos: guia para professores do ensino fundamental e médio. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL. Pesquisa sobre o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Brasileiras. TIC Educação 2016. São Paulo: CGI.br 2017. Disponível em: https://www.cgi.br/publicacoes/indice/. Acesso em: 10 out. 2018.

CORDER, G. W.; FOREMAN, D. I. Nonparametric statisTIC. New York: Wiley, 2014.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2007.

ENEMARK, S.; KJAERSDAM, F. A ABP na teoria e na prática: a experiência de Aalborg na inovação do projeto no ensino universitário. In: ARAÚJO, U. F.; SASTRE, G. Aprendizagem baseada em problemas no ensino superior. 3. ed. São Paulo: Summus Editorial, 2016.

GALEGALE, Gustavo Perri; SIQUEIRA, Érica; SILVA, Carolina Bertolucci Hilário; SOUZA, Cesar Alexandre de. Internet das Coisas aplicada a negócios: um estudo bibliométrico. JISTEM- Brazil, v. 13, n. 3, p. 423-438, set-dez, 2016.

IDEIAS DE FUTURO. Disponível em: http://www.ideiasdefuturo.com/google/. Acesso em: nov. 2017.

KNAPP; ZERATSKY; KOWITZ. Sprint: o método usado no Google para testar e aplicar novas ideias em apenas cinco dias. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2017.

LARMER, J.; ROSS, D.; MERGENDOLLER, J.R. PBL starter kit: To-the-point advice, tools, and tips for your first Project in midlle or high school. California: Buck Institute for Education, 2009.

LARSON, R; FARBER, B. Estatística aplicada. 6. ed. São Paulo: Pearson, 2016.

MAYO, P. et al. Student perceptions of tutor effectiveness in problem based surgery clerkship. Teaching and Learning in Medicine, v. 5, n. 4, p.227-233, 1993.

MCLOUGHLIN, C.; LEE, M. J. W. The three P’s of pedagogy for the networked society: personalization, participation, and productivity. International Journal of Teaching and Learning in Higher Education, v. 20, n. 1, p. 10-27, 2008.

MIT APP INVENTOR. Disponível em:<http://appinventor.mit.edu/explore/>. Acesso em: fev. 2018.

MOREIRA, M.A.; MASINI, E.F.S. Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2006.

OSTERWALDER, A. Business Model Generation: inovação em modelos de negócios: um manual para visionários, inovadores e revolucionários. Rio de Janeiro: Alta Books, 2011.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

ROGERS, E. M. Diffusion of innovations. 4. ed. New York:The Free Press, 1995.

SAMPIERI, R. H.; LUCIO, M. P. B., COLLADO, C. F. Metodologia da pesquisa. Porto Alegre: Artmed, 2013.

SCHWAB, K.; DAVIS, N. Aplicando a Quarta Revolução Industrial. São Paulo: Edipro, 2018.

SCOTT, C. L. The Futures of learning 2: what kind of learning for the 21st Century? Education research and foresight: working papers, UNESCO Digital Library,

p. 1-14, nov. 2015.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2014.

Publicado

2021-03-04

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua