JOGOS DIGITAIS E SUAS POSSIBILIDADES NA/PARA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.5662

Palavras-chave:

Práticas Integrativas e Complementares, Fisioterapia, Educação contínua, Terapias complementares, Integralidade.

Resumo

RESUMO

As transformações culturais e a evolução das novas tecnologias da comunicação e informação, associadas à diversidade dos sujeitos na escola da contemporaneidade, trazem desafios relacionados às práticas de ensino que precisam romper com o modelo tradicional para construção do conhecimento. Ao repensar as metodologias, surge a perspectiva do uso de jogos digitais para promoção da aprendizagem, principalmente para o público-alvo da educação inclusiva. O objetivo dessa pesquisa bibliográfica é refletir sobre as possibilidades dos jogos digitais na/para a educação inclusiva, analisando produções acadêmicas de seis universidades públicas brasileiras (2009-2019). A busca foi realizada na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD). Através de diferentes jogos e em interlocução com diferentes campos de conhecimento, os pesquisadores propõem uma nova forma de ensinar, de aprender, de interagir com o mundo virtual, acreditando que todos os sujeitos são capazes de aprender.  

Biografia do Autor

Julimar Santiago Rocha, Secretaria Municipal de Educação de Salvador

Mestre em Educação pela UNEB - Mestrado Profissional em Educação de Jovens e Adultos. Professora bolsista no Curso de Pedagogia UNEAD/UNEB e professora colaboradora no Curso de Especialização em Libras – UNIVASF. Professora bolsista no Curso de Alfabetização e Letramento – UFBA. E-mail: rocha.juli12@hotmail.com

Patrícia Carla da Hora Correia, Universidade do Estado da Bahia

Doutora em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação (UFBA). Professora Assistente da Universidade do Estado da Bahia no curso de Graduação de Pedagogia e no Mestrado Profissional em Educação de Jovens e Adultos (MPEJA). E-mail: patricia@inclusaodahora.com.br

Jocenildes Zacarias Santos, Universidade do Estado da Bahia

Pós-doutora em Educação e Contemporaneidade. Doutora em Educação e Contemporaneidade. Professora Adjunta da Universidade do Estado da Bahia. Coordenadora do curso de Pedagogia EAD pela Universidade Aberta do Brasil (UAB/UNEB). Professora permanente do Mestrado Profissional em Educação de Jovens e Adultos (MPEJA/ UNEB). E-mail: jocenildessantos69@gmail.com

Referências

ARAÚJO, Gisele Silva. Educação e Transtorno do Espectro Autista: protocolo para criação/ adaptação de jogos digitais. 2018, 176 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-graduação em Educação. Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2018.

ALMEIDA, Vanessa da Silva. Efeitos de um programa com jogos virtuais na aquisição de habilidades psicomotoras de crianças com paralisia cerebral. 2016, 151f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-graduação em Educação. Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2016.

BARBOSA, Josilene Souza Lima; ALVES, Márcia Mesquita Cardoso; SOUZA, Rita de Cácia Santos. Escolas inclusivas e capacitação dos professores. In: NASCIMENTO, Eliane de Sousa; CORREIA, Patrícia Carla da Hora; PORTELA, Cláudia Paranhos de Jesus. Dialogando com a inclusão II: Curso de Formação de Professores. Recife: Liceu, 2014. p. 98-108

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de

Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: DF, 2008.

BRASIL. Tecnologia Assistiva. SDHPR - Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da

Pessoa com Deficiência - SNPD, 2009.

BRASIL. Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios

básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com

mobilidade reduzida, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 2000b.

BRASIL. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Regulamenta a lei brasileira de inclusão da pessoa com deficiência. Diário Oficial da União. Brasília, 2015.

CAMARGO, Mayckel Barbosa de Oliveira. 3ª idade conectada: um estudo sobre a influência do uso de jogos digitais no processo de inclusão digital para idosos. 2018, 79f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Mídia e Tecnologia: Ambientes Midiáticos e Tecnológicos, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. São Paulo, 2018.

CRAWFORD, Chris. The Art of Digital Game Design, Washington State University, Vancouver, 1982

COUTINHO, Isa de Jesus; ALVES, Lynn.R.G. Os desafios e possibilidades de uma prática baseada em evidências com jogos digitais nos cenários educativos. In: ALVES, Lynn.R.G;

COUTINHO, Isa de Jesus. (Org.). Jogos Digitais e Aprendizagem: fundamentos para uma

prática baseada em evidências. Campinas: Papirus, 2016. p. 105-122.

DINIZ, Débora. O que é deficiência. São Paulo: Brasiliense, 2007

GARCIA, Fernanda Albertina. O uso dos jogos digitais para o aprimoramento do controle inibitório: um estudo com crianças do atendimento educacional especializado. 2017, 151f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2017.

GIRÃO, Igor Peixoto Torres. Áudio games no processo de aprendizagem de deficientes visuais: análise sob o aspecto da mediação da informação. 2018. 149f. Dissertação (Mestrado). Mestrado Acadêmico em Ciência da Informação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.

KIRRIEMUIR, John; MCFARLANE, Angela. Literature Review in Games and

Learning. Bristol: Futurelab, 2004.

LINS, Paula Cristina Pereira. Análise da factibilidade de jogos casuais promoverem reabilitação da destreza das mãos por meio de exercícios físicos. 2015, 46f. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Design, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015.

MORAES, Lucas Almeida Prado de. O uso do Minecraft e do RPG como recurso de observação de estudantes precoces e superdotados. 2018, 154f. Dissertação (Mestrado). Programa de pós-graduação em Educação, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. São Paulo, 2018.

PRENSKY, Marc. Aprendizagem baseada em jogos digitais. São Paulo: SENAC, 2012.

PRENSKY, Marc. The Digital Game-Based Learning Revolution. Minnesota: Paragon House, 2007.

PINHEIRO, Cristiano Max Pereira. Apontamentos para uma Aproximação entre Jogos Digitais e Comunicação. 2007, 201f. Tese (Doutorado) Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2007.

ROCHA, Patrícia.; NERY, Jesse; ALVES, Lynn. Jogos digitais e reabilitação neuropsicológica: delineando novas mídias. In I Seminário de Tecnologias Aplicadas em Educação e Saúde, 2014.Salvador, Bahia. Anais... Salvador, Bahia: UNEB, 2014.

RODRIGUES, Maria Euzimar Nunes. Avaliação da tecnologia assistiva na sala de recursos multifuncionais: Estudo de caso em Fortaleza – Ceará. 2013. 116p. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

SANTAELLA, Lucia; FEITOZA, Mirna. Mapa do jogo: a diversidade cultural dos games. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

SANTOS, Juliano Soares dos. Aprendizagem lúdica como suporte à educação de crianças surdas por meio de ambientes interativos. 2012, 230f. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: o paradigma do Século XXI. Inclusão: Revista da Educação Especial, v. 1, p.19-23, out. 2005.

SILVA, Fernanda Carolina Toledo da. Realidade virtual não imersiva: contribuição do jogo de videogame como recurso pedagógico nas aulas de educação física. 2014, 133f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. São Paulo, 2014.

SILVA, Wesley Pereira da. Jogos digitais adaptados para estudantes com deficiência visual: estudo das habilidades cognitivas no dosvox. 2017, 145f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós graduação em Educação, Universidade de Brasília. Brasília, 2017.

SOARES, Magda B. A alfabetização no Brasil: o estado do conhecimento. Brasília: INEP/Santiago: REDUC, 1989.

SOUZA, Fabrícia Ferreira de. Desenvolvimento de jogos computacionais como objetos de aprendizagem para pessoas com necessidades educativas especiais. 2010, 114f. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências e Tecnologia da Computação, Universidade Federal de Itajubá, Minas Gerais, 2010.

VYGOTSKY, Lev Semionovic H. Fundamentos de Defectología. Obras Completas, tomo cinco. Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1994.

VYGOTSKY, Lev Semionovic H. Obras escogidas: fundamentos de defectologia. Tomo V. Madrid: Visor, 1997.

Publicado

2021-01-07

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua