POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO DE CONCEITOS POR CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN NA ESCOLA COMUM

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.5839

Palavras-chave:

Formação por conceitos

Resumo

Esta pesquisa, realizada com apoio da FAPESB, objetivou analisar o processo de apropriação de conceitos por estudante com Síndrome de Down (SD) inserida no segundo ano do Ensino Fundamental de uma escola comum. A metodologia utilizada foi a análise microgenética dos momentos de trabalho docente com conceitos na área de Ciências. A análise microgenética direciona o olhar do observador para o processo de internalização que ocorre a partir da mediação social. Os resultados apontam para a importância de mediações pedagógicas que favoreçam situações vivenciais, apoiadas nos conceitos cotidianos, para apropriação dos conceitos científicos, bem como para elaboração de estratégias de memorização. Conclui-se que o professor deve proporcionar atividades que favoreçam o avanço da criança com SD na internalização do pensamento conceitual, de modo a organizar suas percepções iniciais, vagas e sincréticas, em modos mais ordenados do pensamento que dão significado à experiência concreta.

Biografia do Autor

Susana Couto Pimentel, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora associada da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) onde ministra aulas na graduação e na pós-graduação no Programa de Pós-Graduação em Educação Científica, Inclusão e Diversidade (PPGECID - Mestrado Profissional) e no Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas e Segurança Social (MPGPPSS - Mestrado Profissional). E-mail: scpimentel@ufrb.edu.br

Referências

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro – RJ: Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., 1988.

GOMES, C.M.A. Feuerstein e a construção mediada do conhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2002.

LEONTIEV, A.N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKII L.S.; LURIA, A.R.; LEONTIEV, A.N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1988.

MANTOAN, M.T.E. Inclusão escolar: o que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MILANI, D. Down, Síndrome de: como – onde – quando – porque. São Paulo: Livro Pronto, 2005.

MORTIMER, E. F. Linguagem e formação de conceitos no ensino de Ciências. 2. ed. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006.

REGO, T.C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. 11. ed., Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

VYGOTSKY, L.S. Fundamentos de defectología. Obras Completas Tomo Cinco. Editora Pueblo y Educación: Ciudad de La Habana, 1995.

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

VYGOTSKY, L.S. Psicologia Pedagógica. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VYGOTSKY, L.S. Teoria e método em Psicologia. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

Publicado

2021-01-07

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua