TRAJETÓRIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO INTEGRADO DA REDE FEDERAL: fatores de evasão e permanência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.6069

Palavras-chave:

Evasão escolar, Educação profissional, Inclusão Educacional

Resumo

O presente trabalho objetiva analisar os caminhos da Educação Inclusiva no Ensino Médio Integrado dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. A pesquisa pode ser caracterizada como qualitativa, em que utiliza a pesquisa bibliográfica e documental para analisar os fatores de evasão e de permanência no trilhar dessas travessias. O corpus metodológico é desenhado através da literatura específica em língua portuguesa, no período de 2011 a 2020, por consultas de artigos nas bases do SciELO, três livros, Arroyo (1991), Freire (1996), Mantoan (2003), dois decretos sobre a temática, dois Planos Estratégicos para Permanência e Êxito dos estudantes e dois Regulamentos dos Núcleos de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE), a fim de fundamentar a discussão dos resultados. A conclusão do estudo revelou a complexidade da temática e a corresponsabilidade institucional dos agentes educativos para o fortalecimento da Educação Profissional Tecnológica Inclusiva. Percebe-se a necessidade em repensar o modelo educacional vigente, o Ensino Médio Integrado e o lugar da inclusão. Mais do que nunca, é preciso "tecer a rede" e, para isso, é preciso um longo debate, além de pesquisas e de investimentos.

Biografia do Autor

Bruno J. B. Galasso, Instituto Nacional de Educação de Surdos

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professor do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) e do Instituto Politécnico do Porto (IPP). E-mail: galasso.bruno@gmail.com

Daisa Valverde dos Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI) Universidade de Pernambuco (UPE). E-mail: daisa.valverde@gmail.com

Referências

ARROYO, Miguel González. Revendo os vínculos entre trabalho e educação: elementos materiais da formação humana. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. (Org.). Trabalho, educação e prática social: por uma teoria da formação humana. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

ARROYO, Miguel Gonzalez. Fracasso-sucesso: o peso da cultura escolar e do ordenamento da educação básica. In: ABRAMOWICZ, A.; MOLL, J. (Orgs.) Para além do fracasso escolar. Campinas, SP: Papirus, 1992.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado: Centro Gráfico, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 20 fev. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Presidência da República. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 20 fev. 2020.

BRASIL. Decreto nº 6.253, de 13 de novembro de 2007. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, regulamenta a Lei no 11.494, de 20 de junho de 2007, e dá outras

providências. Brasília: Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Decreto/D6253.htm. Acesso em: 11 maio 2020.

BRASIL. Lei nº 11.892/2008, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Brasília: Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm. Acesso em: 11 maio 2020.

BRASIL. Decreto nº 7.234, de 19 de julho de 2010. Dispõe sobre o Programa Nacional de Assistência Estudantil - PNAES. Brasília: Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7234.htm. Acesso em: 20 abr. 2020.

BRASIL. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília: Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm. Acesso em: 24 abr. 2020.

BRASIL. Acordão nº 506 de 13 de março de 2013. TCU. Disponível em: http://www.ifto.edu.br/portal/docs/dae/permanencia/acordao-506-2013.pdf. Acesso em: 05 maio 2020.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília: Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm Acesso em: 23 fev. 2020.

BRASIL. Relatório Anual de Análise de Indicadores de Gestão das Instituições Federais de Educação Profissional Científica e Tecnológica. 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2019-pdf/117321-caderno-de-indicadores-2019-tcu/file. Acesso em: 21 abr. 2020.

FACHIN, Odilia. Fundamentos de Metodologia. 4 ed. São Paulo: Saraiva, 2006.

FORTES, Vanessa Gosso Gadelha de Freitas; MARTINS, Lúcia de Araújo Ramos. Formação Continuada de Professores do Ensino Médio Integrado do IFRN na Perspectiva da Inclusão de Alunos com Deficiência Visual. Olhares: Revista Do Departamento De Educação Da Unifesp, v.5, n.2, p.31-53, 2017.Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/olhares/article/view/749/262. Acesso em: 27 maio 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

INEP. Censo da Educação Básica 2019: notas estatísticas. 2019.Disponível em: http://portal.inep.gov.br/informacao-da publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/6798882. Acesso em: 26 abr. 2020.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ. Plano Estratégico para Permanência e Êxito dos Estudantes do IFCE 2017-2024. Fortaleza: Pró-Reitoria de Ensino do IFCE, 2017.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ. Plano Estratégico de permanência e de êxito dos Estudantes do IFPA. 2020. Disponível em: https://slideplayer.com.br/slide/16315173/. Acesso em: 03 maio 2020.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL. Regulamento dos Núcleos de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas. 2014. Disponível em: https://ifrs.edu.br/wp-content/uploads/2017/09/Resolucao-20-14.pdf. Acesso em: 10 abr. 2020.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA. Regulamento dos Núcleos de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas. 2016. Disponível em: https://portal.ifro.edu.br/component/phocadownload/file/251-regulamento-napne-2016?tmpl=component. Acesso em: 10 abr. 2020.

DORE, Rosemary; LÜSCHER, Ana Zuleima. Permanência e evasão na educação técnica de nível médio em Minas Gerais. Cadernos de pesquisa, v. 41, n. 144, p. 770-789, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v41n144/v41n144a07.pdf. Acesso em: 24 abr. 2020.

GALASSO, Bruno José Betti et al. Processo de Produção de Materiais Didáticos Bilíngues do Instituto Nacional de Educação de Surdos. Rev. bras. educ. espec., Bauru, v. 24, n. 1, p. 59-72, mar. 2018. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382018000100059&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 12 abr. 2021.

MACHADO, Erica Esch; TEIXEIRA, Dirceu Esdras; GALASSO, Bruno José Betti. Concepção do Primeiro Curso Online de Pedagogia em uma Perspectiva Bilíngue Libras-Português. Rev. bras. educ. espec., Marília , v. 23, n. 1, p. 21-36, mar. 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413 65382017000100021&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 12 abr. 2021.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Inclusão escolar: O que é? Por que? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 26 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

PACHECO, Eliezer. Os Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. 2010. Disponível em: http://memoria.ifrn.edu.br/handle/1044/1013. Acesso em: 23 abr. 2020.

ROCHA, Aline dos Santos. Adaptação do Edifício do Antigo Colégio Marista à Sede da Reitoria do IFBA. 2013. 143 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Conservação e Restauração de Monumentos e Núcleos Históricos) – Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013.

SILVA, A.R.X.; CARVALHO, M. C. A.; GONÇALVES, R. M. Mapeamento e análise das produções científicas que versam sobre as políticas de assistência estudantil no contexto do programa nacional de assistência estudantil. Revista Pedagógica, v. 23, p. 1-30, 2021. DOI http://dx.doi.org/10.22196/rp.v23i0.5529

Publicado

2021-05-03

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua