PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA PEDAGOGIA WALDORF: uma análise sobre a percepção de professores em formação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.6216

Palavras-chave:

Educação alternativa, Práticas educativas, Formação de professores

Resumo

Este trabalho apresenta dados de pesquisa qualitativa realizada no curso de Pedagogia de uma universidade pública de São Paulo. Tal estudo foi desenvolvido na unidade curricular “Práticas Pedagógicas e de Pesquisa” que visa contribuir com a formação inicial de professores oportunizando momentos de imersão em ambientes fora da universidade, inserindo o estudante no mundo da pesquisa científica. O objetivo do trabalho foi compreender quais as principais percepções de futuros pedagogos sobre as práticas educativas de escola de Pedagogia Waldorf. A metodologia consistiu na análise de relatórios escritos de 25 estudantes, sobre práticas educativas e funcionamento de uma escola privada de Pedagogia Waldorf da cidade de São Paulo. Tais registros foram construídos após a observação participativa desses alunos em atividades da Educação infantil e Ensino fundamental da escola selecionada para a pesquisa. Os resultados demonstraram que a maioria dos futuros professores desconhece essa abordagem no campo da Educação, mas avalia que muitas de suas práticas pedagógicas podem ser úteis no trabalho educativo da escola pública. Concluiu-se que os cursos de formação inicial de professores na contemporaneidade carecem de maior aproximação de perspectivas pedagógicas não tradicionais, que visem apresentar possibilidades de práticas educativas criativas e humanizadoras a partir de um olhar crítico, com vistas a melhoria do trabalho cotidiano de educadores de escolas públicas brasileiras. Constatou-se também, a necessidade de mais estudos sobre a metodologia das escolas de Pedagogia Waldorf no Brasil. 

Biografia do Autor

Edna Martins, Universidade Federal de São Paulo

Doutorado em Psicologia da Educação - PUC/SP. Professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).  Grupo de estudos e pesquisa em processos educativos e perspectiva Histórico-Cultural (GEPPEDH), do NAI – Núcleo de Acessibilidade e Inclusão e do NEAB - Núcleo de estudos Afro-brasileiros da Unifesp. E-mail: edna.martins@unifesp.br

Renata Marcilio Cândido, Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

Doutorado em Educação - USP. Professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Grupo de Pesquisa "História da Educação: Intelectuais, Instituições, Impressos" (Unifesp). E-mail: remarcilio@gmail.com

Referências

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira; OZELLA, Sergio. Núcleos de significação como instrumento para a apreensão da constituição dos sentidos. Psicologia: ciência e profissão, v. 26, n. 2, p. 222-245, 2006.

BACH JUNIOR, Jonas; GUERRA, Melanie Gesa Mangels. O currículo da Pedagogia Waldorf e o desafio da sua atualização. Revista e-Curriculum, v. 16, n. 3, p. 857-878, 2018.

BACH JUNIOR, Jonas et al. Professores Waldorf: educar para a liberdade é superar determinismos. Educação e Fronteiras, v. 2, n. 6, p. 87-102, 2012.

FADEL, Sabrina; SOUZA, Rita de Cássia de. Jardim da Manga: Nascimento e morte de uma experiência de implantação da pedagogia Waldorf em uma escola pública/Jardim da Manga. Educação em Foco, v. 22, n. 37, p. 92-113, 2019.

HARDIMAN, Júlia Soares. Educação, infância e Pedagogia Waldorf: a formação docente em questão. Mestrado em Educação, UFSC, 2013.

LANZ, Rudolf. A pedagogia Waldorf: caminho para um ensino mais humano. 6. ed. São Paulo: Antroposófica, 1998.

OLIVEIRA, Thais Cardoso e; CUNTO, Ivanoé de. Colaborações de arquitetura, psicologia e pedagogia waldorf para escolas. Cadernos de ensino e pesquisa, 2015.

MARAFON, Patrícia Sabina; TONDIN, Celso Francisco. Participação das famílias na escola e contribuições da Psicologia Escolar na mediação desta relação. Revista Pedagógica, v. 12, n. 25, p. 227-255, 2010.

PINTO, Juliana. A escolha de escolas Waldorf por famílias das camadas médias. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

RICHTER, Tobias. Objetivo Pedagógico e Metas de Ensino de uma Escola Waldorf. São Paulo: Federação das Escolas Waldorf no Brasil, 2002

ROMANELLI, Rosely A. Pedagogia Waldorf: um breve histórico. Revista da Faculdade de Educação, v. 8, n. 10, p. 145-169, 2008.

PINTO, Juliana da Silva Sardinha. A escolha de Escolas Waldorf por famílias de camadas médias. 2009. 126f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

SANTOS, Ana Cristina Souza dos et al. Autonomia, liberdade, criatividade e transdisciplinaridade em uma escola pública. Conhecimento & Diversidade, v. 5, n. 10, p. 86-96, 2013.

SANTOS, Eliane Souza Oliveira dos; GOMES, Cleomar Ferreira. Pesquisas Brasileiras stricto sensu sobre a pedagogia waldorf: estudo exploratório. Brazilian Journal of Development, v. 7, n. 4, p. 38931-38943, 2021.

SARAIVA, Gabriela Luz; ZUCOLOTTO, Marcele Pereira da Rosa. A pedagogia Waldorf e a Base Nacional Comum Curricular na formação da criança. Research, Society and Development, v. 9, n. 10, p. e7279108754-e7279108754, 2020.

SILVA, Dulciene Anjos de Andrade. Educação e ludicidade: um diálogo com a Pedagogia Waldorf. Educar em Revista, n. 56, p. 101-113, 2015.

Publicado

2021-05-03

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua