A EDUCAÇÃO DOS SENTIDOS: aproximações com o Teatro do Oprimido

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.6366

Palavras-chave:

Educação de Jovens e Adultos. Educação dos sentidos. Trabalho e Educação. Teatro do Oprimido., Educação de Jovens e Adultos. Educação dos sentidos. Trabalho e Educação. Teatro do Oprimido.

Resumo

Na educação de jovens e adultos o conceito de trabalho – a partir das concepções marxistas, que o compreende em seu sentido histórico, como emprego assalariado e também em seu sentido ontológico, como forma de autorrealização humana – assume um papel de destaque, principalmente na integração da educação básica à educação profissional.  A educação, nessa acepção, deve almejar a emancipação completa dos seres humanos, ultrapassando as dicotomias que separam fazer intelectual de fazer manual, corpo e mente, emoção e razão. Considerar uma educação dos sentidos, englobando um saber além do intelectualizado, mas produzido pelo próprio corpo, e nele organizado e encarnado antes do intermédio da consciência, é de primordial importância para a formação integral do ser humano, não o reduzindo a um ser cindido que se forma para atender somente às necessidades imediatas da sociedade capitalista. O presente artigo visa trazer contribuições, a partir do Teatro do Oprimido, para uma educação dos sentidos na Educação de Jovens e Adultos. A pesquisa utilizou-se de metodologia qualitativa, através de revisão bibliográfica e da aplicação de questionário online aos estudantes Proeja do Colégio Pedro II, instituição federal de ensino no Rio de Janeiro.

Biografia do Autor

Ricardo Miranda, Colégio Pedro II

Mestre pelo Programa de Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) do Colégio Pedro II. Orientador Educacional do Colégio Pedro II.  E-mail: rics.miranda@gmail.com

Ana Carolina Rigoni Carmo, Colégio Pedro II

Doutora pelo Programa Interdisciplinar em Educação, Arte e História da Cultura, da Universidade Presbiteriana Mackenzie (São Paulo). Professora Titular de Filosofia do Colégio Pedro II e do Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT). E-mail: anacarolinarigoni@gmail.com

Referências

ALVES, Rubem. A educação dos sentidos: conversas sobre a aprendizagem e a vida. São Paulo: Planeta do Brasil, 2018. E-Book Kindle.

ANTUNES, Ricardo; ALVES, Giovanni. As mutações no mundo do trabalho na era da mundialização do capital. Educação e sociedade, Campinas, v. 25, n. 87, p. 335-351, maio/ago. 2004.

ARAUJO, Ronaldo Marcos de Lima; FRIGOTTO, Gaudêncio. Práticas pedagógicas e ensino integrado. Revista Educação em Questão, Natal, v.52, n.38, p.61 -80, maio/ago. 2015.

BOAL, Augusto. A estética do oprimido. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Documento Base da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrada ao Ensino Médio. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/documento_base.pdf. Acesso em: 05 maio. 2019.

DUARTE JUNIOR, João Francisco. O sentido dos sentidos: a educação (do) sensível. 2000. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2000.

ENGELS, Friedrich. O papel do trabalho na transformação do macaco em homem. 3. ed. São Paulo: Global Editora, 1990. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cv000041.pdf. Acesso em: 05 set. 2020.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. Tradução de Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2004.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O olho e o espírito. Tradução de Cassio de Arantes Leite. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. Tradução de Isa Tavares. São Paulo: Boitempo, 2008.

MÉSZÁROS, István. A teoria da alienação em Marx. Tradução de Isa Tavares. São Paulo: Boitempo, 2006.

MOURA, Dante Herinque; LIMA FILHO, Domingos Leite; SILVA, Mônica Ribeiro. Politecnia e formação integrada: confrontos conceituais, projetos políticos e contradições históricas da educação brasileira. Revista brasileira de educação, v. 20, n. 63, p. 1057 -1080, 2015.

MOURA, Dante Henrique. A integração curricular da educação profissional com a educação básica na modalidade de jovens e adultos (Proeja). Cadernos de Pesquisa em Educação, Vitória, v. 19, n. 39, p. 30-49, jan./jun. 2014.

RAMOS, Marise Nogueira. Implicações políticas e pedagógicas da EJA Integrada à Educação Profissional. EJA e Educação Profissional. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 35, n. 1, p.65-86, jan/abr. 2010. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3172/317227076006.pdf. Acesso em: 10 nov. 2020.

RAMOS, Marise Nogueira. Concepções do ensino médio integrado. Curitiba: Secretária de Educação do Estado do Paraná, 2008. Disponível em: http://forumeja.org.br/go/sites/forumeja.org.br.go/files/concepcao_do_ensino_medio_integrado5.pdf. Acesso em: 15 ago. 2019.

ROSA, Mauricio Bueno. Compreendendo a educação a partir da noção de experiência corporal em Merleau-Ponty. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 22, p. 1-17, 2020.

SAVIANI, Demerval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação. v.12, n.34, p. 152-180, jan/abr.2007.

SILVEIRA, Eduardo. A arte do encontro: a educação estética ambiental atuando com o teatro do oprimido. Educação em Revista, Belo Horizonte v.25 n. 03 p. 369-394, 2009.

Publicado

2021-08-04

Edição

Seção

Dossiê: SABERES, MOVIMENTOS E EDUCAÇÃO: diálogos (in)comuns