O LEHRERSEMINAR E LEHRERPRÄPARANDER

A Formação de professores e o ideário moderno educacional para o país (1909-1938)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.6448

Palavras-chave:

Teuto-brasileiros; Identidade étnica cultural; moderno; Formação e professores de teuto-brasileiros.

Resumo

Este artigo pretende refletir sobre algumas questões acerca do que constitui a ação das instituições teuto-brasileiras de formação de professores no sul do Brasil: o Lehrerseminar (Seminário de Formação de Professores Alemães), criado em 1909, em Taquari, Rio Grande do Sul, transferido em 1910 para Santa Cruz do Sul e, em abril de 1926, de forma definitiva, para a cidade de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul; e o Instituto de Preparação de Professores Lehrerpräparander, criado em 1928, na cidade de Benedito-Timbó, Santa Catarina. O objetivo da pesquisa consiste em investigar elementos da formação de professores nessas instituições, no intuito de compreendê-las como elementos que compõem o ideário de modernidade educacional, a partir de aspectos culturais teuto-brasileiro, no período compreendido entre 1909 a 1938. Nas áreas de colonização alemã no Sul do Brasil se apresenta um leque de investigação que visa compreender o conceito da cultura e identidade étnica, sua organização estrutural pedagógica e didática; para identificar como se constituiu a preparação de professores teuto-brasileiros que se formaram no Lehrerseminar e no Lehrerpräparander. O percurso teórico-metodológico, visou atender à problemática anunciada acerca do objeto, teve como fio condutor o ideário moderno para compreender a relação da organização pedagógica e científica curricular. O aporte metodológico da investigação foi o referencial apoiado na história cultural e oral. Finalizamos a abordagem dos elementos do ideário moderno educacional representados nas disciplinas de Pedagogia e Psicologia, complementados por outras áreas destinadas a preparação didática, pedagógica, e metodológica visando à formação de professores teutos.

Biografia do Autor

Ilson Paulo Blogoslawski, Centro Univeristário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí

Doutor em Educação. Programa de Pós-graduação em Educação UFSC. Professor na UNIDAVI/Rio do Sul. E-mail: blogoslawski@unidavi.edu.br

Maria das Dores Daros, Universidade Federal de  Santa Catarina

Doutora em Filosofia e História da Educação pela Universidade de São Paulo. Professora Titular/aposentada da Universidade Federal de  Santa Catarina (UFSC), atuando/voluntária no Programa de Pós-Graduação  em Educação na linha de Sociologia e História da Educação.

 

Solange Aparecida de Oliveira Hoeller, Instituto Federal Catarinense

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora no IFC – Instituto Federal Catarinense. Grupo de Estudo e Pesuisa em Educação, Formação de professores e Processos Educativos. E-mail: solange.hoeller@ifc.edu.br

 

Referências

ALTMANN, Friedhold. A Roda: memórias de um professor. São Leopoldo: Sinodal, 1991.

CAMBI, Franco. História da pedagogia. São Paulo: Unesp, 1999.

DAROS, Maria das Dores; DANIEL, Leziany Silveira, Scheibe, Leda. A contribuição de intelectuais catarinenses para a pesquisa educacional e a formação de professores na década de 1950. In: LAFFIN, Maria Hermínia Lage Fernandes; RAUPP, Marilene Dandolini;

DELON, Fanny Ch.; DELON, Charles. Exercises el travaux pour les enfant selon la méthode el les procedes de Pestalozzi et de Froebel. Première partie. 6. ed. Paris, Librarie Hachette, 1913.

DURHAN, Eunice R. A dinâmica da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

FIORI, Neide Almeida. O perfil ideológico da ‘Escola estrangeira’ em Santa Catarina. Revista de Antropologia, [S. l.], n. 29, p. 114-133, 1986.

GOMES, Derti Jost. Seminário Evangélico de formação de professores: origem e trajetória da instituição e perfil dos egressos. 2005. Dissertação (Mestrado em Teologia) – Escola Superior de Teologia, São Leopoldo, 2005.

HOPPEN, Arnildo. Formação de Professores Evangélicos no RS (1909-1939). São Leopoldo: Edição do autor, [19--].

KLUG, João. A escola teuto-catarinense e o processo de modernização em Santa Catarina: a ação da Igreja Luterana através das escolas (1871-1938). 1997. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

MEYER, Dagmar Elisabeth Estermann. Identidades traduzidas: cultura e docência teuto-brasileiro-evangélica no Rio Grande do Sul. Santa Cruz do Sul: Edunisc; São Leopoldo: Sinodal, 2000.

MIGNOT, Ana Chrystina Venancio (org.). Cadernos à vista: escola, memória e cultura escrita. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2008.

RAMBO, Arthur Blasio. A escola comunitária teuto-brasileira católica. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 1994.

SGANDERLA, Ana Paola. O ensino de Psicologia na Escola Normal em Santa Catarina. Florianópolis. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

SIQUEIRA, Luíza de Lima. A família e a escola como ambientes formadores segundo Pestalozzi. Campinas: [s. n.], 2012.

WEINGÄRTNER, Nelso. História da comunidade evangélica de Timbó. Blumenau: Kuhr, 2008.

Publicado

2021-10-05

Edição

Seção

Dossiê Imigração e Colonização alemãs no Brasil