OS SABERES DA DOCÊNCIA E AS DISPARIDADES DE GÊNERO NO MAGISTÉRIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v25i1.7334

Palavras-chave:

Docência, Saberes, Profissionalidade Docente, Disparidade de Gênero

Resumo

Neste artigo, apresenta-se a análise realizada com base nos pressupostos teórico-metodológicos da Psicologia Sócio-Histórica de cenas de filmes e fragmentos de um episódio de uma série espanhola nos quais situações vividas por uma professora e dois professores enquanto trabalham são exibidas. O objetivo é compreender que saberes constituem a prática pedagógica de professoras e professores e a que fontes esses profissionais recorrem para desempenhar seu trabalho e construir seus saberes, tendo as disparidades de gênero presentes na docência como mediações constitutivas desses saberes. Usamos como referência de procedimento analítico os Núcleos de Significação (AGUIAR; OZELLA, 2006). Os resultados apontaram que professoras e professores constroem na prática uma pluralidade de saberes durante sua vida profissional e demonstram, por meio de seus atos, competência significativa no enfrentamento dos desafios e da complexidade do seu trabalho. Esses saberes constitutivos da docência são pragmáticos, mas surgem a partir da reflexão da prática com base em arcabouço teórico convergente sem dicotomizar teoria e prática. Deveria existir maior reconhecimento social da docência que em grande maioria é desempenhada por mulheres e, portanto, concebida como área de menor valor na sociedade, o que evidencia disparidade de gênero, e, ainda, maior participação docente nas reformas educacionais, já que esses profissionais, ao longo da carreira, estão imersos numa dinâmica de desenvolvimento de competências articuladas ao saberes próprios da prática pedagógica - o que corrobora a profissionalidade docente.

Biografia do Autor

Ana Lucia Madsen Gomboeff, PUC SP

Doutora em Educação: Psicologia da Educação pela PUC-SP. Mestre em Educação: Formação de Formadores pela PUC-SP. Pedagoga e formada em Letras. Pesquisadora no Grupo de pesquisa: Rede de estudos e pesquisas de desenvolvimento profissional docente - Reped da PUC-SP, coordenado pela Profa. Dra. Marli André. Coordenadora Pedagógica da Rede Municipal de Ensino de São Paulo.

Maria Emiliana Lima Penteado, PUC SP

Doutora e Mestre em Educação: Psicologia da Educação (PUC-SP). Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Atividade Docente e Subjetividade (GADS), coordenado pela Profa, Dra. Wanda Maria Junqueira Aguiar. Coordenadora Pedagógica na Rede de Ensino Municipal de São Paulo.

Referências

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira; OZELLA, Sérgio. Núcleos de significação como instrumento para a apreensão da constituição dos sentidos. Psicologia: Ciência e Profissão, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 222-247, 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-98932006000200006 Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-8932006000200006&script=sci_abstract& tlng=pt Acesso em: 05 mar. 2021.

ALMEIDA, Patrícia Cristina Albieri de; REIS, Adriana Teixeira; GOMBOEFF, Ana Lucia Madsen; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. As pesquisas sobre professores iniciantes: uma revisão integrativa. Revista Eletrônica de Educação. São Carlos, v. 14. Publicação contínua. jan./dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.14244/198271994152 Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4152/1100 . Acesso em: 07 mar.2021.

ANTUNES, Laurem; ACCORSSI, Aline. Relações de gênero e a feminização da profissão docente: reflexões sobre a divisão sexual do trabalho. RECC, Canoas, v. 24, n. 3, 49-60, nov. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.18316/recc.v24i3.5425 Disponível em: https://revistas.unilasalle.edu.br/index.php/Educacao /article/view/5425. Acesso em: 04 mar. 2021.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LÉSBICAS, GAYS, BISSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSEXUAIS. Secretaria de Educação. Pesquisa Nacional sobre o Ambiente Educacional no Brasil 2015: as experiências de adolescentes e jovens lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em nossos ambientes educacionais. Curitiba: ABGLT, 2016. Disponível em: http://static.congressoemfoco.uol.com.br/2016/08/IAE-Brasil-Web-3-1.pdf. Acesso em: 11 mar. 2021.

BOCK, Ana Mercês Bahia; AGUIAR, Wanda Maria Junqueira. A dimensão subjetiva: um recurso teórico para a Psicologia da Educação. In: AGUIAR, Wanda Maria Junqueira; BOCK, Ana Mercês Bahia (org.). A dimensão subjetiva do processo educacional: uma leitura sócio-histórica. São Paulo: Cortez, 2016, p. 43-59.

BOCK, Ana Mercês Bahia; GONÇALVES, Maria da Graça. A dimensão subjetiva da realidade. São Paulo: Cortez, 2009.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina; tradução Maria Helena Küner. 2 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003.

FERREIRA, Márcia Ondina Vieira. Feminização e “natureza” do trabalho docente - breve reflexão em dois tempos. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 16, p. 153-166, jan./jun. 2015. DOI: https://doi.org/10.22420/rde.v9i16.490 Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/490. Acesso em: 08 abr. 2021.

GATTI, Bernadete Angelina. Avaliação e qualidade do desenvolvimento profissional docente. Avaliação, Sorocaba, v. 19, n. 2, p. 373-384, jul. 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-40772014000200006 Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/aval/v19n2/a06v19n2.pdf. Acesso em: 03 mar. 2021.

HRYNIEWICZ, Lygia Gonçalves Costa; VIANNA, Maria Amorin. Mulheres em posição de liderança: obstáculos e expectativas de gênero em cargos gerenciais. Cadernos EBAPE.BR, v. 16, n. 3, p. 331-344, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/1679-395174876 Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S167939512018000300331&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 15 mar. 2021.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. 2 ed. Petrópolis, Vozes ,1998 .

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade e Educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

MARCELO GARCIA, Carlos. Formação de professores. Para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

JUDITH BUTLER (temporada 2, ep. 7). Merlí [Seriado]. Direção: Eduard Cortés. Produção: TV3 Televisión Catalunya. Espanha: Programas da Netflix, 2016.

NÓVOA, Antônio. Os professores e o “novo” espaço público da educação. In: TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O ofício de professor: história, perspectivas e desafios internacionais. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

O MILAGRE DE ANNE SULLIVAN. Direção: Arthur Penn. Produção de Village Roadshow Pictures. Estados Unidos: Warner Bros, 1962.

PENTEADO, Maria Emiliana Lima. A dimensão subjetiva da docência: significações de professores e gestores sobre “ser professor”, produzidas em um processo de pesquisa e formação. 2017. 228 f. Tese (Doutorado em Educação: Psicologia da Educação) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/20566/2/Maria%20Emiliana%20Lima%20Penteado.pdf Acesso em: 08 mar. 2021.

PLACCO, Vera Maria Nigro; SOUZA, Vera Lucia Trevisan. (Orgs.). Aprendizagem do adulto professor. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1990.

SANTIN, Myriam Aldana Vargas; CATTANI, Daian; CECCHETTI, Elcio. Gênero e religião: disputas políticas na construção do plano municipal de educação de Chapecó/SC. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 21, p. 306-320, 2019. DOI: https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.5261 Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/5261. Acesso em: 02 abr. 2021.

SILVA, Célia Regina Ramos da; CARVALHO, Paula Mangueira de; SILVA, Elisangela Leandro da. Liderança feminina: a imagem da mulher atual no mercado corporativo das organizações brasileiras. Educação, Gestão e Sociedade, v. 7, n. 25, p. 1-12, 2017. ISSN 2179-9636 Disponível em: http://uniesp.edu.br/sites/_biblioteca/revistas/20170509163857.pdf. Acesso em: 02 abr. 2021.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude; LAHAYE, Louise. Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação, Porto Alegre, 1991, n. 4, p. 215–233. Não há DOI. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4118869/mod_resource/content/1/TARDIF%2C%20Maurice%20et%20al.%20Os%20professores%20face%20ao%20saber%20-%20esbo%C3%A7o% 20de%20uma%20problem%C3%A1tica%20do%20saber%20docente.pdf. Acesso em: 2 jun. 2021.

TARDIF, Maurice. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista Brasileira de Educação, Campinas, ANPED, Autores Associados, n. 13, jan-abr, p. 5-23, 2000. ISSN 1413-2478. Disponível em: http://www.ergonomia.ufpr.br/Metodologia/RBDE13_05_MAURICE_TARDIF.pdf Acesso em: 10 mar. 2021.

TARDIF, Maurice; RAYMOND, Danielle. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. In: Educação & Sociedade, n. 73, dez, p. 209–244, 2000. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302000000400013 Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v21n73/4214. Acesso em: 15 mar. 2021.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da práxis. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

VEENMAN, Simon. El proceso de llegar a ser profesor: un análisis de la formacción inicial. In: VILLA, Aurelio. (Coord.). Prespectivas y problemas de la función docente. Madrid: Narcea, 1988. p. 39-68.

VEM DANÇAR. Direção: Liz Friedlander. Produção: PlayArte. Estados Unidos: Warner Bros, 2006.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. Teoria e método em psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. A construção do pensamento e da linguagem. 2. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

Downloads

Publicado

2023-03-23

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua