Habitantes de Pindorama – de nativos a estrangeiros

Autores

  • Valdo Barcelos Unochapecó
  • Sandra Maders

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v14i28.1362

Resumo

Neste texto abordaremos questões relativas aos processos de interculturalidade, Povos Indígenas e sobre o “Sentimento de ser Estrangeiro”. Procuraremos mostrar que a questão do ser “estrangeiro” vai além do que até pouco tempo pensávamos, ou seja, às questões geográficas. Hoje, com a facilidade de acesso às informações, seja pela internet, seja pelos meios de transportes, as fronteiras geográficas facilmente podem ser superadas. Com isto, o sentido do termo estrangeiro tem mudado. Constatamos que o ser estrangeiro tem mais a ver com o modo de ser, de sentir-se, que com aspectos territoriais e com um determinado local. Nesta perspectiva, a centralidade deste texto é refletir sobreos processos culturais que levaram os nativos desta terra de Pindorama (índios) a se sentirem estrangeiros em suas próprias terras. 

Edição

Seção

Apresentação do Dossiê