Educador(a) Intercultural numa Perspectiva de Formação Ambientalizada e Descolonializante

Autores

  • João Batista de Albuquerque Figueiredo Unochapecó
  • Maria Eleni Henrique da Silva

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v14i28.1364

Resumo

Este estudo objetiva apresentar uma proposta de formação de educador@ ambiental popular capaz de responder aos dilemas da modernidade/colonialidade por meio do diálogo entre a Educação Intercultural, Educação Popular e a Educação ambiental. Ele se justifica no desvelar da modernidade/colonialidade, na qual houve um distanciamento na relação humano-humano e humano-‘natureza’. E, ao afetar criticamente a dimensão social e ecológica, traz implicações para a própria formação dess@s educadore@s. Algumas questões nos mobilizam: o que podemos entender por modernidade? O que isto implica para a educação e para os modos de operar essa formação? Podemos pensar em alternativas a este padrão educativo no tocante a formação de educador@s ambientais populares que atendam aos dilemas do mundo atual? Em busca de respostas mobilizadoras de ações potencialmente transformadoras, realizamos uma pesquisa bibliográfica dialógica. Estabelecemos um diálogo entre Educação Intercultural, Educação Popular, Educação Ambiental, Formação de Educador@s e os Estudos da Colonialidade/Modernidade. Concluímos com uma proposta que resulta na Formação Relacional Ambientalizada Descolonializante.  

Edição

Seção

Apresentação do Dossiê