Pensando o Estado nas pesquisas educacionais críticas / Thinking about the Estate in critical educational research

Autores

  • Tiago Cortinaz
  • Iana Gomes de Lima

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v15i30.1569

Palavras-chave:

Multiculturalismo. Interculturalidade. Saber e poder. Capoeira.

Resumo

Tomando a educação crítica como referencial, o presente trabalhopropõe-se a discutir o Estado para além do conceito de Estado-nação.Utilizando centralmente os recentes estudos de Roger Dale (2010), SaskiaSassen (2010) e Janet Newman e John Clarke (2012), o texto problematizao Estado, analisando o complexo processo de reconfiguração pelo qual vempassando, principalmente causado pela globalização, pensada em diferentesníveis e escalas, e pela assunção de indicadores de mercado pelo Estado, comoo novo gerencialismo. Através da análise teórica de textos que abordam atemática da globalização e da reconfiguração estatal, o artigo propõe pensaro Estado como um conceito a ser explicado, nas pesquisas educacionaiscríticas, não podendo ser entendido como um conceito explicativo em si.Para ilustrar nossos argumentos, utilizam-se contribuições de pesquisarealizada sobre uma política pública educacional no estado do Rio Grandedo Sul, durante o Governo Yeda Crusius (2007-2010), em que foi examinadoum programa de intervenção pedagógica, exemplificando, assim, algumasdas complexidades que permeiam a análise do Estado em uma pesquisaeducacional crítica. A partir das análises propostas, busca-se reforçar anecessidade de abandonar um modelo unívoco de Estado, considerandoos percursos dos movimentos globais em seus rearranjos historicamentelocalizados.

Edição

Seção

DOSSIÊ EDUCAÇÃO CRÍTICA