O projeto político-pedagógico e o plano de ensino de ciências em uma Escola Kaingang

Autores

  • André Boccasius Siqueira
  • Fernanda Oliveira Lima
  • Jessé Renan Scapini Sobczak

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v17i34.2927

Palavras-chave:

Hugues de Varine, Paulo Freire, Nova Museologia, Educação, Museologia Social

Resumo

A Escola Estadual Indígena de Ensino Fundamental Gomercindo Jete Tehn Ribeiro localiza-se em Tenente Portela, na Terra Indígena Guarita, Km 10, Rodovia RS 330. Observou-se o Projeto Político-Pedagógico e o Plano de Ensino de Ciências dos anos finais. A escola almeja uma educação voltada ao aluno indígena, que valorize o conjunto de experiências oriundas de seu grupo familiar, os conhecimentos culturais e as relações que ele faz com o meio. Com o estudo bibliográfico acerca do assunto, verificou-se que no Plano de Ensino não constam conteúdos curriculares propriamente indígenas conforme consta no Projeto Político-Pedagógico. Dentre algumas legislações em âmbito nacional, a Constituição Federal de 1988, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LD BEN) – Lei nº 9.394/96 reconhecem aos indígenas o direito à diferença cultural através da criação de capítulos específicos e elegem a pluralidade cultural como um tema transversal.

Publicado

2015-09-08

Edição

Seção

ARTIGOS