O humano é viável? É educável?

Autores

  • Miguel G. Arroyo

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v17i35.3052

Palavras-chave:

Educação. Antropologia. Cultura. Alteridade.

Resumo

O texto parte de uma constatação histórica; a pedagogia nasce colada a uma crença: o humano é viável. Todo ser humano é educável. Essa crença não está em crise? Na primeira parte deste texto, apontam-se as manifestações atuais dessa descrença na viabilidade do humano e na educabilidade de jovens, adolescentes e crianças submetidos à nova segregação social e racial. Por onde passa o decretá-los e tratá-los como ineducáveis? Na segunda parte, o texto se aproxima das consequências dessas descrenças para a educação, para as teorias pedagógicas e para a formação de docentes-educadores-educadoras. Uma questão perpassa essas análises: essa descrença na viabilidade e educabilidade do humano não recoloca a centralidade da função educadora da escola e da docência? Que novas respostas de afirmação política da ética vêm das escolas?

Publicado

2015-12-22

Edição

Seção

ARTIGOS