A educação inclusiva premissas e perspectivas

Autores

  • Maria Luisa Bissoto UNIMEP

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v7i15.4219

Palavras-chave:

ocupação de microhabitat, roedores, marsupiais

Resumo

O objetivo principal desse artigo é trazer à tona e analisar criticamente premissas inerentes à educação inclusiva somando-se a outros esforços teóricos para configurar uma educação que seja efetiva e adequada à realidade educacional brasileira. Metodologicamente, esse artigo se apóia em documentos internacionais de referência sobre a Educação Inclusiva, principalmente em recentes relatórios da Unesco1 , da União Européia e de países da América Latina e do Caribe escolhidos por sistematizarem teoricamente e por caracterizarem diferentes práticas educacionais inclusivas. Como resultado dessa análise conclui-se que é essencial para o sucesso da Educação Inclusiva que a escola reveja seus objetivos e razões de existência social o que passa, necessariamente, pela reconcepção filosófica quanto ao que significa ensinar e aprender. Nesse contexto, algumas perspectivas capazes de favorecer ações educacionais inclusivas são sugeridas ao final do artigo.

Biografia do Autor

Maria Luisa Bissoto, UNIMEP

Graduada em Terapia Ocupacional pela PUC/ Campinas com especialização em Educação Especial pela Unicamp, Mestrado e Doutorado em Educação UNIMEP.

Publicado

2018-02-11

Edição

Seção

ARTIGOS