JUVENTUDES CONTEMPORÂNEAS E OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO, TRABALHO E CULTURA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.6140

Palavras-chave:

Juventudes, Mundo do trabalho, Educação Profissional e Tecnológica, Culturas juvenis

Resumo

A preocupação deste ensaio é com as juventudes contemporâneas. Nele são analisadas as inserções das juventudes contemporâneas nas esferas da cultura, da escola e do trabalho e tem por finalidade compreender os desafios postos para Educação Profissional e Tecnológica na atualidade. Foi produzido a partir de estudos realizados no componente curricular eletivo Juventude, Trabalho e Escola, oferecido no curso de Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica que pertence ao Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) do IFRS. Desenvolvido numa perspectiva qualitativa, foi elaborado por meio de pesquisa bibliográfica, constituída de livros, artigos de periódicos e com material disponibilizado na Internet, seguindo os tipos de pesquisa descritiva e exploratória. Na sua organização foram definidas as seguintes categorias de análise: constituição do sujeito jovem e as culturas juvenis na contemporaneidade; mundo do trabalho e os espaços das juventudes e escola e formação profissional crítica dos jovens. Os resultados apontam o papel da educação para o presente e o futuro das juventudes, em que as instituições de ensino se apresentam como oportunidades de crítica, de negociação e produção cultural e de reconhecimento das identidades culturais. Um projeto de vida não pode se limitar às escolhas profissionais, porém, a inserção no mundo do trabalho é parte importante da vida dos jovens. É importante escutar os jovens e ajudá-los a enfrentar os obstáculos cotidianos para potencializar seus projetos de futuro, ajudando-os a enfrentar o poder de homogeneização que insiste em reduzi-los a um período de tempo transitório da vida.

Biografia do Autor

Marcos Elias Emerim, Prefeitura Municipal de Sapucaia do Sul

Mestrando em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT - IFRS). Especialista em Educação em Direitos Humanos, Diversidade, Questões Étnico-Raciais ou Sociais (FAVENI). Graduado em Pedagogia (UERGS). Professor de Ensino Fundamental I. 

Janaína Scopel Faé, Prefeitura Municipal de Ipê, E.M.E.I.E.F. Leonel de Moura Brizola

Possui graduação em Licenciatura em Educação Física pela Universidade de Caxias do Sul (2009) e especialização em Educação Física Escolar. Atualmente, cursando o Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica no IFRS campus Porto Alegre. Atua como professora de Educação Física no Ensino Fundamental da rede municipal de ensino de Ipê - RS. 

Josimar de Aparecido Vieira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS - Campus Sertão

Possui graduação em Pedagogia pela Fundação de Ensino do Desenvolvimento do Oeste (1986), especialização em Supervisão Escolar pela Fundação de Ensino do Desenvolvimento do Oeste (1988), Mestrado em Educação pela Universidade de Passo Fundo - UPF (2000) e Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS (2011). Atualmente é Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico da área de Pedagogia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Sertão. É professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT). É membro do Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (BASis), nomeado pela Portaria MEC nº 856 de 17/09/2018. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em didática e organização pedagógica do ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, práticas pedagógicas, educação profissional, educação superior e educação do campo.

Referências

ABRAMOVAY, Miriam; ANDRADE, Eliane Ribeiro; ESTEVES, Luiz Carlos Gil. Juventudes: outros olhares sobre a diversidade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; Unesco, 2007. Disponível em: http://forumeja.org.br/files/Vol%2027_ed%201_Juventudes.pdf. Acesso em: 15 jun. 2021.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1997.

BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BRASIL. Lei nº 12.852, de 5 de agosto de 2013. Estatuto da Juventude. Brasília: Diário Oficial da União, 2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12852.htm. Acesso em: 01 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Documento Base. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/documento_base.pdf. Acesso em: 29 out. 2013.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: ARTMED, 2010.

DAYRELL, Juarez Tarcísio. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, Belo Horizonte, n. 24, p. 40-52, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n24/n24a04.pdf. Acesso em: 01 mar. 2021.

ENNE, Ana Lucia. Juventude como espírito do tempo, faixa etária e estilo de vida: processos constitutivos de uma categoria-chave da modernidade. Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v. 7, n. 20, p.13-35, nov. 2010. Disponível em: http://revistacmc.espm.br/index.php/revistacmc/article/view/203. Acesso em: 02 mar. 2021.

FREITAS, Maria Virgínia (Org.). Juventude e adolescência no Brasil: referências conceituais. São Paulo: Ação Educativa, 2005.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Trabalho como princípio educativo: por uma superação das ambiguidades. Boletim Técnico do SENAC, Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, p. 175-182, set /dez. 1985.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Juventude e trabalho no pós-pandemia. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=wrOlf3OEvvI. Acesso em: 02 mar. 2021.

FURLANI, Daniel Dias; BOMFIM, Zulmira Áurea Cruz. Juventude e afetividade: tecendo projetos de vida pela construção dos mapas afetivos. Psicologia & Sociedade, v. 22, n. 1, p. 50-59, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/psoc/v22n1/v22n1a07.pdf. Acesso em: 01 mar. 2021.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. 9. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni del carcere. Edizione critica. Organização Gerratana. Turim: Einaudi, 1977. v. 4.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (UFMG). Observatório da Juventude. Iniciando o mosaico. Belo Horizonte, 2014. Disponível em: http://observatoriodajuventude.ufmg.br/juviva-conteudo/05-02.html. Acesso em 28 nov. 2020.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LEÃO, Geraldo; DAYRELL, Juarez Tarcísio; REIS, Juliana Batista dos. Juventude, projeto de vida e ensino médio. Educ. Soc., Campinas, v. 32, n. 117, p. 1067-1084, out./dez. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302011000400010&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 02 mar. 2021

MARTINS, Carlos Henrique dos Santos; CARRANO, Paulo Cesar Rodrigues. A escola diante das culturas juvenis: reconhecer para dialogar. Revista Educação - UFSM, Santa Maria, v. 36, n. 1, p. 43-56, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/2910. Acesso em: 20 nov. 2020.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec-Abrasco, 2004.

MOREIRA, Antônio Flávio; CANDAU, Vera Maria (Orgs.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

OLIVEIRA, Júlia Ribeiro de; SILVA, Lúcia Isabel C.; RODRIGUES, Solange S. Acesso, identidade e pertencimento: relações entre juventude e cultura. Democracia Viva: Revista do Ibase Rio de Janeiro, n. 30, p. 62-65, jan./mar. 2006. Especial Juventude e Política. Disponível em: https://www.ibase.br/userimages/ibasenet_dv30_artigo4.pdf. Acesso em: 02 mar. 2021.

PERALVA, Angelina. O jovem como modelo cultural. Revista Brasileira de Educação. n. 5, mai./ago., 1997; n. 6, set./dez. 1997. Disponível em: https://anped.org.br/sites/default/files/rbe/files/rbe_05_e_06.pdf. Acesso em: 02 mar. 2021.

SAVIANI, Dermeval. Sobre a concepção de politecnia. Rio de Janeiro: FIOCRUZ-EPSJV, 1989.

SILVA, Mônica Izilda da; OVIGLE, Daniel Fernando Bovolenta. Olhares juvenis para as escolas: gaiolas ou asas? Revista Pedagógica. v. 22, 2020. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/issue/view/Vol.%2022%2C%202020. Acesso em: 02 mar. 2021.

VIEIRA, Josimar de Aparecido; VIEIRA, Marilandi Maria Mascarello. Formação integrada do ensino médio com a educação profissional: o que dizem as pesquisas. Revista Thema, Pelotas, v. 13, n. 1, p. 79-92, 2019. Disponível em: http://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/287. Acesso em: 02 mar. 2021.

Publicado

2021-06-29

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua