ATUAÇÃO DE PSICÓLOGOS NO ATENDIMENTO À PESSOA SURDA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v26i1.7506

Palavras-chave:

Pessoas surdas, Cultura surda, Libras, Atendimento psicológico, Psicologia

Resumo

Mesmo quando duas pessoas ouvintes interagem, pode haver fragilidades na comunicação entre elas. Para a pessoa surda, a situação se acentua, podendo produzir o sentimento de ser um estrangeiro em seu próprio país, o que gera exclusão. Este artigo é resultado de uma pesquisa de graduação, cujo objetivo geral é analisar como acontece a atuação de psicólogos diante de demandas de atendimento às pessoas surdas em Chapecó/SC. Do objetivo geral derivam os seguintes objetivos específicos: identificar como acontece a qualificação profissional do psicólogo para o atendimento clínico às pessoas surdas; identificar que desafios o psicólogo encontra no atendimento às pessoas surdas; compreender como se dá o vínculo psicoterapêutico entre paciente surdo e psicólogo. A pesquisa é de caráter qualitativo, e para o levantamento dos dados, foram realizadas entrevistas semiestruturadas, adotando-se a técnica de Bola de Neve. As entrevistas foram transcritas na íntegra e examinadas por meio da análise de conteúdo, com inspiração em Bardin (2016). Portanto, neste texto, abordamos discussões acerca da surdez no seu entrelaçamento com a psicologia. Frente às buscas realizadas tanto com as entrevistadas quanto em campos de publicações científicas, é perceptível a necessidade de inclusão de pessoas surdas nos atendimentos psicoterapêuticos, visando a qualidade de vida e preservando a dignidade de cada uma.

Biografia do Autor

Gizeli Scalcon, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ

Graduanda em Psicologia na Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ.

Helen Beatriz Martins, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ

Graduanda em  Psicologia na Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ

Tania Mara Zancanaro Pieczkowski, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Mestre em Educação pela Universidade de Passo Fundo (UPF); Graduada em Pedagogia, especialista em Educação Especial e em Docência na Educação Superior pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ); Diretora de Ensino na Unochapecó no período de 2009 a 2016.  Professora, pesquisadora e, atualmente, coordenadora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado em Educação (Unochapecó); integrante da Linha de Pesquisa Diversidade, interculturalidade e educação inclusiva; líder do Grupo de pesquisa Diversidades, educação inclusiva e práticas educativas (Unochapecó); integrante dos grupos de pesquisa Ensino e Formação de professores e Práticas Educativas (Unochapecó); e GEPE- Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Especial e Inclusão (UFSM). Autora e organizadora de livros, autora de capítulos de livros e de artigos científicos publicados em periódicos Qualis Capes.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 1 ed. São Paulo: Edições 70. 2016.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a lei brasileira de inclusão da pessoa com deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF, jul. 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 3 out. 2021.

BRASIL. Decreto n. 5.626 de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em:

http://www.presidencia.gov.br/ccivil/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm. Acesso em: 20 mar. 2022.

CHAVEIRO, Neuma; BARBOSA, Maria Alves; PORTO, Celmo Celeno. Revisão de literatura sobre o atendimento ao paciente surdo pelos profissionais da saúde. Revista Escolar Enfermagem USP, [s. l.], v. 42, ed. 3, 2008.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética Profissional dos Psicólogos, Resolução n.º 10/05, 2005.

CROMACK, Eliane Maria Polidoro da Costa. Identidade, cultura surda e produção de subjetividades e educação: atravessamentos e implicações sociais. Psicologia: Ciência e Profissão. v. 24, n. 4. p. 68-77, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-98932004000400009 Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/pcp/v24n4/v24n4a09.pdf . Acesso em: 2 out. de 2022.

CUNHA, Ana Maria T. R. da et al. A psicanálise das configurações vinculares e a terapia familiar. In: OSORIO, Luiz Carlos et al, (org.). Manual da Terapia Familiar. 1 ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

DALL’ASEN, Taise. A aprendizagem da língua de sinais por crianças surdas: dos primeiros anos de vida à aquisição do português escrito. Dissertação de Mestrado (Stricto Sensu em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Unochapecó. Chapecó. 2020.

DALL’ASEN, Taise; PIECZKOWSKI, Tania Mara Zancanaro. Surdez, identidade e diferença. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 2, p. 1129-1147, abr./jun. 2022.

DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v17i2.14593

Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14593

Acesso em: 19 jan. 2023.

FOCHESATTO, Waleska Pessato Farenzena. A cura pela fala. Revista Estudos de Psicanálise, ed. 36, p. 165-172, dez. 2011.

FREIRE, José Célio. A Psicologia a Serviço do Outro: Ética e Cidadania na Prática Psicológica. Psicologia, Ciência e Profissão. 23, (4), 12-15, 2003.

LOPES, Maura Corcini; VEIGA-NETO, Alfredo. Marcadores surdos: quando eles se constituem no espaço escolar. Revista Perspectiva, v. 24, p. 81-100, jul./dez. 2006.

DOI: https://doi.org/10.5007/%25x. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/10541. Acesso em: 20 jan. 2023.

LUCHESE, Anderson; PIECZKOWSKI, Tania Mara Zancanaro. A comunicação como possibilidade de inclusão de estudantes surdos. Revista pedagógica, [s. l.], v. 19, n. 41, p. 226-241, mai/ago 2017. DOI: https://doi.org/10.22196/rp.v19i41.3716. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/3716. Acesso em: 20 jan. 2023.

MINAYO, Maria Cecília. DESLANDES, Suely Ferreira. Pesquisa social: Teoria, método e criatividade. 28 Ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes. 2009.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa. Secretaria de Educação Especial; Programa Nacional de Apoio à Educação de Surdos - Brasília: MEC/SEESP, 2004.Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/tradutorlibras.pdf. Acesso em: 20 jan. 2023.

MOREIRA, Letícia Machado; ESTEVES, Cristiane Silva. Revisitando a teoria do setting terapêutico. Portal dos psicólogos, 2012. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0628.pdf. Acesso em: 20 jan. 2023.

OLIVEIRA, Milene da Silva. Caminhos metodológicos. Exercício profissional de docentes com deficiência visual: acessibilidade para quem? Dissertação de Mestrado (Stricto Sensu em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ), Chapecó/SC, 2021. Disponível em: http://konrad.unochapeco.edu.br/pergamum/biblioteca/index.php. Acesso em: 20 jan. 2023.

PRADO FILHO, Kleber; MARTINS, Simone. A subjetividade como objeto da(s) psicologia(s). Psicologia & Sociedade, v. 19, p. 14-19, set/dez 2007.

Disponível em: https://www.scielo.br/j/psoc/a/NJYycJNvX58WS7RHRssSjjH/?lang=pt. Acesso em: 18 jan. 2023.

PROMETAL EPIS. Face Shield: Veja a importância deste EPI!. 2020.Disponível em: https://www.prometalepis.com.br/blog/face-shield-veja-a-importancia-deste-epi/. Acesso em 09 de nov. de 2022.

ROMANO, Bruna; SERPA JR, Octavio Domont de. Singularidades da comunicação no encontro de pessoas surdas e profissionais de saúde mental. Physis: Revista de Saúde Coletiva. v. 31. 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/physis/a/DkjZrrPFMgQSMbQZrH5CzRC/?lang=pt&format=pdf Acesso em: 03 de outubro de 2021.

VINUTO, Juliana. A amostragem em Bola de Neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Revista Temáticas, 44 ed. p. 203-220. Agosto de 2014.

Downloads

Publicado

2024-03-27

Como Citar

SCALCON, G.; MARTINS, H. B.; PIECZKOWSKI, T. M. Z. ATUAÇÃO DE PSICÓLOGOS NO ATENDIMENTO À PESSOA SURDA. Revista Pedagógica, [S. l.], v. 26, n. 1, p. 1–24, 2024. DOI: 10.22196/rp.v26i1.7506. Disponível em: http://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/7506. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua