AS CIÊNCIAS HUMANAS, A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR E A REFORMA DO ENSINO MÉDIO: DISPUTAS EPISTEMOLÓGICAS EM TEMPOS DE ULTRACONSERVADORISMO

Autores

  • Jéferson Silveira Dantas UFSC

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.3887

Palavras-chave:

Ciências Humanas, Base Nacional Comum Curricular, Reforma do Ensino Médio

Resumo

A abordagem se concentrará, especialmente, nas proposições da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e os seus efeitos nos componentes curriculares voltados à área epistemológica das Ciências Humanas. Além disso, há de se destacar a emergência do debate sobre a Reforma do Ensino Médio, que poderá trazer efeitos nefastos para as disciplinas de História e de Geografia, sobretudo. Ainda em tal contexto, o movimento Escola sem Partido (ESP) vem angariando simpatizantes em várias partes do país, tendo como mote a criminalização do trabalho docente, o combate à liberdade de cátedra e uma censura deliberada aos componentes curriculares de teor mais crítico e reflexivo.

Biografia do Autor

Jéferson Silveira Dantas, UFSC

Historiador e Doutor em Educaçãop pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor no Departamento de Estudos Especializados em Educação do Centro de Ciências da Educação da UFSC e no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/CED?UFSC).

Publicado

2020-08-05

Edição

Seção

Dossiê - Políticas Públicas de Ensino Médio: diferentes contextos em análise