O MOVIMENTO ESTUDANTIL NA UFC: histórias da década de 1960 e no contexto da ruptura institucional de 2016

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.3996

Palavras-chave:

Ativismo político, Movimento estudantil, UFC, Educação

Resumo

Este artigo visa revisitar a história da Universidade Federal do Ceará, destacar o protagonismo político dos estudantes, registrar e compreender as narrativas de militantes que ocuparam a Faculdade de Educação em fins de 2016, na conjuntura do golpe parlamentar jurídico-midiático. A revisão bibliográfica reconstitui fatos e contextos, ressignificando a interpretação de conjunturas críticas que motivam para o movimento social e a metodologia da História Oral e Nova História, mediante a qual se propõe o método de entrevistas para extrair das narrativas vivências que despertam subjetividades durante momentos de luta. Recentemente os militantes radicalizaram, em protesto contra a Proposta de Emenda à Constituição nº 241, promulgada pela Emenda Constitucional nº 95, que limita despesas e compromete investimentos em educação. A experiência resultou em mais sentimento de empatia, solidariedade e habilidade para articular os coletivos em favor de conquistas políticas entre os sujeitos da ação social.

Biografia do Autor

TÂNIA GORAYEB SUCUPIRA

Doutoranda em Educação PPGE/FACED/UFC. Professora da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza.

JOSÉ GERARDO VASCONCELOS, UFC

Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará, Pós-Doutorado em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia, Pós-Doutorado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba, Pós-Doutorado em História da Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professor Titular de Filosofia da Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará.

Publicado

2020-08-05

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua