A INDÚSTRIA PELA EDUCAÇÃO E A REFORMA DO ENSINO MÉDIO: APONTAMENTOS SOBRE O PROJETO EDUCACIONAL DA FIESC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.4466

Palavras-chave:

Pedagogia industrial, Reforma do Ensino Médio, Reestruturação produtiva, FIESC

Resumo

O estudo tem por objetivo evidenciar elementos do ideário pedagógico atual da indústria catarinense, cotejando-os com a literatura crítica produzida no Brasil sobre a Reforma do Ensino Médio. Para tanto, no percurso metodológico, utilizamos como ponto de partida a palestra realizada pelo presidente da FIESC a gestores municipais de educação durante o fórum da Undime/SC no ano de 2017. Realizamos, ainda, um balanço em periódicos brasileiros a respeito das produções científicas sobre a reforma da educação secundária no período de 2016 a 2018. Os dados analisados indicam que a pedagogia industrial catarinense se aproxima muito da Reforma do Ensino Médio (Lei Federal n. 13.415/2017). Compreendemos que a reestruturação da educação secundária se insere no modelo de reestruturação produtiva do capital. A flexibilidade é a mola propulsora de seu desenho curricular, marcado pela desigualdade educacional. A FIESC
enxerga na educação, tanto do jovem quanto do trabalhador, uma alavanca para o aumento da competitividade e a
expansão lucrativa do segmento empresarial.

Biografia do Autor

FABRICIO SPRICIGO, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutorando em Educação pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Mestre em Educação pela mesma Universidade. Atua como Pedagogo no Instituto Federal de Santa Catarina.

MARILÉIA MARIA DA SILVA, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004) com estágio de doutoramento no exterior na Université de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines (UVSQ). É Professora Associada do quadro permanente da Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC, atuando no Centro de Ciências da Educação.

Publicado

2020-08-05

Edição

Seção

Dossiê - Políticas Públicas de Ensino Médio: diferentes contextos em análise