A CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE NEGRA NO LIVRO PARA INFÂNCIA BETINA, DE NILMA LINO GOMES

Autores

  • Fabienne Neide Neide da Cunha Mestranda PPGE UFSC
  • ELIANE SANTANA DIAS DEBUS UFSC
  • Joana Célia dos Passos UFSC

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.4513

Palavras-chave:

Sociologia da Educação, Relações de Gênero, Educação Superior, Formação docente, Golpe de Estado.

Resumo

A  Lei 10.639/2003 é uma das Políticas de Ações Afirmativas que incidiu diretamente na educação para as relações étnico-raciais, visando fomentar nos(as) profissionais da educação novas lentes para o ensino de história e da literatura afro-brasileira, servindo como um dispositivo impulsionador para mobilizar a cidadania e descortinar as práticas racistas ainda presentes nos ambientes educacionais e na sociedade. A produção literária para a infância pode problematizar as relações étnico-raciais? Ela é capaz de contribuir para a valorização e a constituição identitária do/a criança negro/a? Acreditando positivamente, o presente artigo traz à cena o livro Betina, de Nilma Lino Gomes, buscando evidenciar na sua construção textual, em particular por meio do protagonismo negro infantil, um discurso em que os preconceitos raciais são (re)significados possibilitando que ocorra a constituição identitária de negros e negras, desde a infância, sob uma perspectiva desprovida das marcas inferiorizantes advindas do racismo.

 

 

Biografia do Autor

Fabienne Neide Neide da Cunha, Mestranda PPGE UFSC

Graduada em Pedagogia (UFSC/2015). Pós-Graduanda em nível de mestrado na linha “Sujeitos, Processos Educativos e Docência” - SUPED no Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/CED/UFSC. Membro do Grupo ALTERITAS: Diferença, arte e educação e do Núcleo Vida e Cuidado  NUVIC, ambos do Centro de Ciências da Educação - UFSC.

ELIANE SANTANA DIAS DEBUS, UFSC

Possui graduação em Letras Licenciatura Português e Inglês pela Fundação Educacional de Criciúma (1991), mestrado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996), doutorado em Lingüística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2001) e Pós-doutorado em andamento na Universidade do Minho (PT). Atualmente é professora da Universidade Federal de Santa Catarina, atuando no Departamento de Metodologia de Ensino e no Programa de pós-Graduação em educação.. É líder do Grupo de Pesquisas LITERALISE: Grupo de pesquisa em literatura Infantil e juvenil e práticas de mediação literária, da Universidade Federal de Santa Catarina.Membro integrante do Grupo de Pesquisa Produções Culturais para crianças, coordenado pelo Professor Doutor Fernando Azevedo, do Centro de Investigação em Estudos da da Criança da Universidade do Minho (Braga/Portugal), Tem experiência na área de Educação e Letras, com ênfase em Literatura Infantil e Juvenil, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura infantil e juvenil, temática africana e afro-brasileira na literatura infantil e juvenil, formação de leitores, formação de professores e leitura literária.Dos livros publicados destacam-se Monteiro Lobato e o leitor esse conhecido (2004 UFSC/Univali) Selo Altamente Recomendável da FNLIJ - indicação para o Jabuti (entre os 10), Catálogo de Bolonha da FNLIJ; Festaria de brincança: a leitura literária na Educação Infantil (2006/Paulus) Selo Altamente Recomendável da FNLIJ e Catálogo de Bolonha da FNLIJ; A literatura infantil e juvenil de língua portuguesa: leituras do Brasil e d´além mar (Organização - 2008,UNISUL); Literatura Infantil e juvenil: leituras, análises e reflexões (Org. DEBUS, DOMINGUES, JULIANO) – (2010/UNISUL) Catálogo de Bolonha da FNLIJ; Entre Fadas e bruxas (Organização Eliane Debus e Regina Michelli) (Dialogarts, 2015); Literatura infantil e juvenil - do literário a outras manifestações estéticas (UNISUL, 2016) Selo Altamente e Recomendável da FNLIJ), Catálogo de Bolonha da FNLIJ e Prêmio de melhor livro Teórico de 2016/2017 e A temática da Cultura africana e afro-brasileira na literatura para crianças e jovens (Cortez, 2017).

Joana Célia dos Passos, UFSC

Possui graduação em Pedagogia, Mestrado (1997) e Doutorado em Educação (2010) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Realizou estágio Pós-doutoral em Sociologia Política no PPGSP/UFSC. Atualmente é docente no Departamento de Estudos Especializados em Educação do Centro de Ciências da Educação/UFSC na área Organização de Processos Educativos e na disciplina Diferença, Estigma e Educação. É líder do grupo de estudos e pesquisas Alteritas: Diferença, Arte e Educação, pesquisadora no Núcleo Vida e Cuidado (NUVIC) ambos do Centro de Educação da UFSC, e pesquisadora associada ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Inclusão no Ensino Superior e na Pesquisa Núcleo de Santa Catarina (INCTi-SC/UFSC).

 

Publicado

2020-05-19

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua