A MERITOCRACIA NAS ORIENTAÇÕES INTERNACIONAIS: CONVERGÊNCIAS E DESAFIOS PARA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

Autores

  • Franciele Soares dos Santos Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Gilmar Fiorese Universidade Estadual do Oeste do Paraná-Unioeste
  • Sueli Ribeiro Comar Universidade Estadual do Oeste do Paraná-Unioeste

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.4626

Palavras-chave:

Tecnologias na Educação. PROUCA. Construcionismo. Formação de Professores.

Resumo

O objetivo do artigo é debater a meritocracia a partir das orientações dos organismos internacionais, buscando analisar a materialização desta categoria no contexto da educação escolar brasileira. Sinalizamos, primeiramente, o contexto de emergência do discurso meritocrático e suas categorias convergentes, que legam a educação a lógica do mercado. Num segundo momento, dando destaque ao papel do Movimento Todos pela Educação-TPE, debatemos a escola como lócus de efetivação da meritocracia. Como metodologia optamos pelo estudo bibliográfico referente ao assunto. Como resultado, espera-se a necessidade da compreensão da escola como um terreno de luta na perspectiva da construção de uma educação contra-hegemônica num momento de profundas injustiças sociais, falência moral e ética e porque não dizer, a dizimação do que mais importa no campo educacional: a formação humana na sua plenitude.

Biografia do Autor

Franciele Soares dos Santos, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2004) . Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Doutora em Educação pela Universidade Federal de Pelotas - UFPel (2016). Atualmente é professora adjunta da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: fundamentos da educação, educação infantil. trabalho e educação, teoria marxista da educação, pedagogia socialista, movimentos sociais populares do campo e educação. Membro dos grupos de pesquisa: Sociedade, trabalho e educação; Formação Humana, Educação e Movimentos Sociais Populares - GEFHEMP ambos da Unioeste- campus de Francisco Beltrão-PR.

Gilmar Fiorese, Universidade Estadual do Oeste do Paraná-Unioeste

Doutorado em Educação - Universidade Federal de Pelotas-RS (2016). Mestrado em História - Universidade Estadual Paulistas - UNESP/Universidade Estadual do Centro Oeste - UNICENTRO (2000). Especialização em História - Centro Pastoral, Educacional e Assistencial Dom Carlos/Palmas-PR (1990). Especialização em Pensamento Contemporâneo - PUC/PR (1992). Graduação em História - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Palmas/PR (1987). Atualmente é professor Adjunto da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.

Sueli Ribeiro Comar, Universidade Estadual do Oeste do Paraná-Unioeste

Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá (1992), Pós Graduação em Administração Escolar, Orientação e Supervisão pela UNOPAR( 2000), Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (2006). Foi membro do Grupo de Pesquisa(Políticas Públicas e Organização do Trabalho na Escola -UEM) no período de maio de 2004 a fevereiro de 2007. Esteve inserida no Grupo de Estudo e Pesquisa Políticas e Gestão Educacional -UEM) de 2007 a 2009. Foi Professora Colaboradora do Departamento de Teoria e Prática da Educação -UEM. de 2007 a 2009. É Professora Assistente do CCH da Universidade Estadual do Oeste do Paraná(UNIOESTE) onde ministra a Disciplina de Política Educacional.Está inserida no Grupo de Pesquisa Sociedade, Trabalho e Educação e realiza pesquisas no campo da Política Educacional, Gestão Escolar, Organização e Planejamento Escolar, Educação, Avaliação em Larga Escala, Neoliberalismo e Formação de Professores. Doutora em Educação pela Universidade Federal de Pelotas/2016.

Publicado

2020-05-19

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua