Paulo Freire em Aotearoa - Nova Zelândia: uma discussão sobre a produção de Peter Roberts

Autores

  • Gabriela Medeiros Nogueira Universidade Federal do Rio Grande- FURG http://orcid.org/0000-0002-6985-064X
  • Eduardo Arriada Universidade Federal de Pelotas.
  • Mônica Maciel Vahl University of Canterbury (UC)

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.4890

Resumo

Buscamos com este trabalho dar visibilidade à discussão da obra de Freire em Aotearoa– Nova Zelândia, a partir da produção acadêmica de Peter Roberts, professor na University of Canterbury.Realizamos uma busca bibliográfica em artigos, capítulos de livros e livros organizados pelo autor neozelandês desde os anos oitenta. Entrevistamos o professor ampliando dados sobre como Freire passa a ser conhecido e estudado na Nova Zelândia. Assim, pudemos conhecer sobre o contexto da produção acadêmica e da prática didática que Roberts vem realizando nas últimas três décadas. Ao longo do texto destacamos as seguintes estratégias de produção de Peter Roberts: i)estudos comparativos entre Freire e autores de obras literárias e/ou filosóficas; ii) acompanhamento a produção de Freire ao longo do tempo sem perder a dimensão histórica; iii) análise de autores que criticam Freire e a partir de seus postulados, tece argumentos justificativos que demonstram certa fragilidade nas críticas elaboradas.

Biografia do Autor

Gabriela Medeiros Nogueira, Universidade Federal do Rio Grande- FURG

Professora no Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande-FURG. Atua no Programa de Pós-graduação da FURG. Coordena o Grupo de Estudo e Pesquisa em Alfabetização e letramento – GEALI, cadastrado no diretório acadêmico do CNPq. 

Eduardo Arriada, Universidade Federal de Pelotas.

Professor associado da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas. Atua no Programa de Pós-graduação. Vinculado ao Centro de Estudos e Investigação em História da Educação. Coordena o Centro de Documentação - CEDOC.

Mônica Maciel Vahl, University of Canterbury (UC)

Doutora em Educação pela University of Canterbury (UC).  Integrante dos grupos de pesquisa HISALES (História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares - FaE/UFPEL), do Grupo de Estudo e Pesquisa em Alfabetização e Letramento (GEALI - IE/FURG) e School of Educational Studies and Leadership (UC).

Publicado

2019-11-21

Edição

Seção

Dossiê - recepção do pensamento de Paulo Freire fora do contexto brasileiro