O BRINCAR NA CONTEMPORANEIDADE: experiências lúdicas na cultura digital

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.5686

Palavras-chave:

Brincar, Culturas infantis, Cultura lúdica, Infância

Resumo

Este artigo apresenta uma reflexão sobre a experiência social e cultural do brincar vivido pelas crianças no mundo contemporâneo, considerando que este ato transpassa diferentes tempos e lugares em que passado e presente, analógico e digital são marcados, ao mesmo tempo, pela continuidade e pela mudança. A problemática central aborda sobre o brincar de crianças e as suas interações com as tecnologias digitais móveis como uma necessidade de, cada vez mais, aprofundarmos o conhecimento acerca de como esse fenômeno tem se desenvolvido e estruturado as culturais infantis na contemporaneidade. Sob a perspectiva teórica da Sociologia da Infância e a partir da abordagem da pesquisa qualitativa, por meio de “rodas de brincadeiras” utilizando o tablet e smartphone desenvolvemos o método da Pesquisa com criança. Como resultado evidenciamos que os atos de brincadeiras com as tecnologias digitais móveis têm sido ampliados, de modo que todo o movimento vivido pela criança favorece para que a mesma possa ressignificar e trazer novas formas de brincar para compor a cultura lúdica.

Biografia do Autor

Joseilda Sampaio de Souza, Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge)

Doutora e mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Federal da Bahia. Coordenadora do Curso de Pedagogia EAD do Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge). Membro do Grupo de Pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologias (GEC/FACED/UFBA).

Maria Helena Silveira Bonilla, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), professora titular na Faculdade de Educação da UFBA e líder do Grupo de Pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologias (GEC/FACED/UFBA). 

Publicado

2020-10-30

Edição

Seção

Dossiê - Infância e Crianças: discussões à luz da Sociologia da Infância