AS CRIANÇAS E A ESCOLA: concepções, sentidos e funções

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.5690

Palavras-chave:

Crianças, Concepções, escola

Resumo

Amparada na Sociologia da Infância, a pesquisa buscou compreender como a escola é percebida e significada por crianças do 1º ano do Ensino Fundamental de duas escolas de Porto Alegre (RS), uma pública e uma privada. Foram realizados grupos focais, desenhos e escritas para apreender as concepções das crianças, bem como os sentidos e as funções atribuídos à escola. As narrativas verbais foram submetidas à Análise Textual Discursiva e os desenhos foram analisados a partir de um amálgama de autores. Na concepção das crianças, a escola é um lugar, mas transcende a mera dimensão espacial, uma vez que está permeada por sensações, afetos e memórias. É o lugar de aprender, onde as práticas são coletivas e realiza-se um tipo particular de trabalho, o trabalho escolar, estando associada a determinados símbolos. A escola é percebida como um espaço das crianças, que é importante, obrigatório e positivo frequentar; serve para aprender, em primeiro lugar, e para brincar, divertir-se e fazer amigos.

Biografia do Autor

Denise da Silva Maia, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS

Doutora em Educação (PUCRS). Professora colaboradora na PUCRS e no Centro de Aperfeiçoamento em Psicologia Escolar. Integrante do NEPAPI/PUCRS. E-mail: denisedsmaia@gmail.com 

Marlene Rozek, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

Doutora em Educação (UFRGS). Professora do Curso de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Escola de Humanidades da PUCRS. Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Aprendizagem e Processos Inclusivos (NEPAPI) na PUCRS e do LABINPI (Laboratório de Intervenção Precoce na Infância) junto ao Centro Marista de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente. E-mail: marlene.rozek@pucrs.br

Publicado

2020-10-30

Edição

Seção

Dossiê - Infância e Crianças: discussões à luz da Sociologia da Infância