O ENSINO MÉDIO DIANTE DA EXPECTATIVA DOS EMPRESÁRIOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.5790

Palavras-chave:

Educação Básica, Política Educacional, Gestão, fundações e empresários do ensino

Resumo

Das circunstâncias históricas que resultaram na aprovação da Lei nº 13.415/2017, o artigo propõe, analisar como os grupos econômicos privados, Banco Mundial e Governo Federal atuam para expandir os negócios na educação básica pública no país. Parte da legislação, referências e do documento Uma ponte para o futuro (2015) para evidenciar como a contrarreforma do Ensino Médio atende aos interesses do setor produtivo lucrativo, empresas e corporações. Apurou-se que sob o manto da ordem e progresso, governos, corporações e empresários modificam a legislação constitucional, trabalhista e educacional a fim de manter segurança nos contratos, favorecer o setor privado e instituir que as escolas de ensino médio se assemelhem às empresas em suas finalidades. Afirma ainda, que apesar das resistências, as forças econômicas em consonância com proposições do Banco Mundial e Governo Federal agem na regulação da educação básica pública no currículo, no financiamento e nas finalidades das escolas do país.

Biografia do Autor

Cristiane Akemi Sato, Secretaria de Educação do Distrito Federal

Mestre em Educação pela Universidade de Brasília (UnB). Professora na Secretaria de Educação do Distrito Federal.

Maria Abádia da Silva, Universidade de Brasília (UnB)

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Pós-Doutora em Salamanca. Professora associada da Universidade de Brasília (UnB). Atua no Programa Pós-Graduação
em Educação e desenvolve estudos e pesquisas na área da Educação com prioridade para a História da Educação Brasileira e Políticas para a Educação Básica.

Geraldo Coelho de Oliveira Júnior, Ministério da Educação (MEC)

Pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Avançadas - Ética e Política Emancipatória (NEPA-EPE), do Instituto Federal de Goiás (IFG) e membro do Grupo de Pesquisa - Organismos Internacionais, Política e Gestão da Educação Básica (ÁGUIA), da Universidade de Brasília (UnB). Servidor do Ministério da Educação (MEC), Doutorando em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB).

Publicado

2020-12-14

Edição

Seção

Dossiê - Políticas Públicas de Ensino Médio: diferentes contextos em análise