CONTRIBUIÇÕES DO MODELO BIOECOLÓGICO PARA A COMPREENSÃO DAS BARREIRAS ATITUDINAIS NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Autores

  • Marciria Castellani Rocha Oliveira Universidade de Brasília - UnB, Faculdade de Educação - FE, Programa de Pós-Graduação em Educação Modalidade Profissional - PPGE/MP https://orcid.org/0000-0002-9875-6089
  • Alia Barrios Universidade de Brasília - UnB, Faculdade de Educação - FE, Departamento de Teoria e Fundamentos - TEF, Programa de Pós-Graduação em Educação Modalidade Profissional - PPGE/MP https://orcid.org/0000-0001-6679-9132

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v26i1.7566

Palavras-chave:

Desenvolvimento da Pessoa Humana, Educação Inclusiva, Barreiras Culturais

Resumo

O presente artigo tem como objetivo apresentar os principais conceitos do Modelo Bioecológico de Urie Bronfenbrenner, refletindo sobre suas contribuições para a Educação Inclusiva, de forma geral, e para a compreensão do possível efeito das barreiras atitudinais nos processos de desenvolvimento e aprendizagem da pessoa com deficiência, de maneira mais específica. Enquanto perspectiva teórico-metodológica, o Modelo Bioecológico enfatiza o papel central da pessoa em seus processos de desenvolvimento e aprendizagem, sem deixar de ressaltar a importância de suas relações sociais nos diferentes ambientes que frequenta. Nessa perspectiva, a escola, ambiente rico em interações sociais diversificadas, constitui-se um espaço privilegiado para o processo de desenvolvimento humano das pessoas com e sem deficiências. As barreiras atitudinais se manifestam como entraves ao estabelecimento de interações pessoais com a reciprocidade e afetividade necessárias para a constituição de processos proximais capazes de promover o desenvolvimento. Embora o Modelo Bioecológico tenha sido pouco usado nas pesquisas sobre Educação Inclusiva e barreiras atitudinais, a análise de seu arcabouço teórico permite sinalizar as potencialidades desta perspectiva para a compreensão e o estudo dos temas abordados, assim como a responsabilidade da escola na construção de sensibilidades, motivações e habilidades fundamentais para o cuidado entre os seres humanos.

Biografia do Autor

Marciria Castellani Rocha Oliveira, Universidade de Brasília - UnB, Faculdade de Educação - FE, Programa de Pós-Graduação em Educação Modalidade Profissional - PPGE/MP

Atualmente cursando Mestrado em Educação pela Faculdade de Educação da UNB (Mestrado Profissional). Graduada em Serviço Social pela Faculdade de Serviço Social de Caratinga (1998). Pós-Graduada em Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva - Campus Avançado Uberaba Parque Tecnológico (IFTM) 2020, Complementação em Pedagogia pela Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras - FACEL. Pós-Graduada em Docência do Ensino Superior com ênfase em Gestão Educacional. Assistente Social do Campus Águas Lindas IFG.

Alia Barrios , Universidade de Brasília - UnB, Faculdade de Educação - FE, Departamento de Teoria e Fundamentos - TEF, Programa de Pós-Graduação em Educação Modalidade Profissional - PPGE/MP

Professora Adjunta na área de Psicologia da Educação, no Departamento de Teoria e Fundamentos (TEF), da Faculdade de Educação (FE), da Universidade de Brasília (UnB). Doutora e Mestre em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, do Departamento de Psicologia Escolar e do Desenvolvimento, Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília - UnB. Graduada em Psicologia pelo Instituto de Psicologia da Universidade de Havana - UH, Cuba, com diploma revalidado pelo Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília - UnB, Brasil. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Modalidade Profissional (PPGE-MP) da Faculdade de Educação (FE), da Universidade de Brasília (UnB), no campo de pesquisa de Processos Formativos e Profissionalidades. Âmbitos de pesquisa: Educação em Direitos Humanos e Práticas Educativas, Processos de Socialização no Ciclo Vital, Ontogénese e Desenvolvimento Moral e de Valores na Perspectiva da Psicologia Cultural, Educação Inclusiva e Formação de Professores na Perspectiva da Diversidade, Corporeidade e Educação, Educação e Saúde em contextos de Educação Formal, Dificuldades de Aprendizagem e Queixa Escolar, Processos Educativos e Atuação em Psicologia Escolar. Áreas de atuação: Desenvolvimento Humano, Desenvolvimento Moral, Psicologia Escolar, Psicologia da Educação, Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, EJA, Ensino Superior, Educação a Distância, Educação em Direitos Humanos e Educação Inclusiva. Grupo de pesquisa: Psicologia Dialógica e Cultural. Publicações recentes:  La educación en derechos humanos y el currículo oculto: consideraciones teórico-práticas sobre el cotidiano escolar brasileño, Revista  Educación de Lima(2020), Educação em Direitos Humanos no Ensino Fundamental:  práticas pedagógicas e concepções de professores, Revista Atos de Pesquisa em Educação da FURB (2021), Desenvolvimento moral na educação infantil: um estudo cultural construtivista, Revista Educação da PUCRS (2021). 

Referências

ARROYO, Miguel G. Políticas educacionais e desigualdades: à procura de novos significados. Educação & Sociedade [online]. Vol.31, n.113. 2010, p.1381-1416.

BHERING, Eliana; SARKIS, Alessandra. Modelo Bioecológico de Bronfenbrenner: implicações para as pesquisas da área da Educação Infantil. Horizontes, v. 27, n. 2, p. 7-20, jul./dez. 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, 2007. Disponível em: <<http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf>> Acesso em: 28/04/2022.

BRASIL. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência – Lei nº 13.146/2015) Disponível em: << http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm>> Acesso em: 15/12/2021.

BRONFENBRENNER, Urie. A Ecologia do Desenvolvimento Humano: Experimentos Naturais e Planejados. Trad. Maria Adriana Veríssimo Veronese, Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

BRONFENBRENNER, U.; MORRIS, P. A. The Biological Model of Human Development. In: LENER, R. M. (Org.) Handbook of child psychology. Theoretical models of human development. John Wiley & Sons, Inc., Hoboken, New Jersey. 2006. Chapter 14. p.793-828.

CAIRNS, Robert B.; CAIRNS, Beverley. D. The Making Of Developmental Psychology. In: LENER, R. M. (Org.). Handbook of child psychology. Theoretical models of human development. John Wiley & Sons, Inc., Hoboken, New Jersey. 2006. Chapter 03 p.89-165.

CHAHINI, Thelma Helena Costa. O percurso da inclusão de pessoas com necessidades especiais na educação superior. Curitiba: Appris, 2016.

KREBS, Ruy Jornada. A Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano e o Contexto da Educação Inclusiva. Inclusão: Revista da Educação Especial / Secretaria de Educação Especial. Ano 2, n.2 (jul. 2006). - Brasília: Secretaria de Educação Especial, 2006.

KREBS, Ruy J.; COPETTI, Fernando. As Propriedades da Pessoa na Perspectiva do Paradigma Bioecológico. Inserção Ecológica: um Método de Estudo do Desenvolvimento Humano. Editora Pearson. 2016. p. 67 a 89.

MAZZOTA, Marcos J. da S.; D’ANTINO, Maria E. F. Inclusão Social de Pessoas com Deficiências e Necessidades Especiais: cultura, educação e lazer. Saúde e Sociedade, São Paulo, v.20, n.2, p.377-389, 2011. https://doi.org/10.1590/S0104-12902011000200010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sausoc/a/mKFs9J9rSbZZ5hr65TFSs5H. Acesso em: 26/04/2022.

NARVAZ, Martha G.; KOLLER, Silvia H. O modelo Bioecológico do Desenvolvimento Humano. In: KOLLER, Silvia H. (org.). Inserção Ecológica: um Método de Estudo do Desenvolvimento Humano. Editora Pearson. 2016. p. 51 a 65.

MANTOAN. Maria Teresa Eglér. Inclusão escolar: o que é? por quê? como fazer? / Maria Teresa Eglér Mantoan. — São Paulo: Moderna, 2003. — (Coleção cotidiano escolar)

OLIVEIRA, Cláudia dos Santos. Educação Inclusiva no Brasil: revisão sistemática e análise bioecológica. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Pará, Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento, Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento, 2011. Disponível em: «https://repositorio.ufpa.br/jspui/bitstream/2011/5717/1/Dissertacao_EducacaoInclusivaBrasil.pdf» Acesso em: 20/04/2022

SASSAKI, Romeu Kazumi. Como chamar as pessoas que tem deficiência. In: Romeu Sassaki. Vida Independente: história, movimento, liderança, conceito, filosofia e fundamentos. São Paulo: RNR, 2003, p. 12-16.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: construindo uma sociedade para todos. 8ed. Rio

de Janeiro: WVA, 2010.

SILVA, Fabricio de Lima Bezerra; BATISTA, David Espinola; MASSARO, Munique. Contexto histórico e político da educação das pessoas com deficiência e os desafios para a educação inclusiva. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 22, p. 1-23, 2020.

Downloads

Publicado

2024-03-27

Como Citar

CASTELLANI ROCHA OLIVEIRA, M.; BARRIOS, A. CONTRIBUIÇÕES DO MODELO BIOECOLÓGICO PARA A COMPREENSÃO DAS BARREIRAS ATITUDINAIS NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Revista Pedagógica, [S. l.], v. 26, n. 1, p. 1–20, 2024. DOI: 10.22196/rp.v26i1.7566. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/7566. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua