COMPREENDENDO A EDUCAÇÃO A PARTIR DA NOÇÃO DE EXPERIÊNCIA CORPORAL EM MERLEAU-PONTY

Autores

  • Mauricio Bueno da Rosa UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.5063

Palavras-chave:

Merleau-Ponty, Fenomenologia, Percepção, Educação, Arte

Resumo

A partir da fenomenologia de Merleau-Ponty podemos perceber que o ponto de vista da corporeidade se relaciona diretamente com o desafio da educação, o corpo não é tomado como um objeto no espaço e no tempo, ou então em movimento, definido exclusivamente como um conjunto de partes. A relação entre filosofia e arte se faz fundamental para pensar a formação humana e a educação nos termos que estamos pesquisando aqui, pois trata-se da própria fundamentação do conhecimento, a partir de uma atitude de experiência perceptiva com o mundo no qual estamos inseridos. Com isso, neste artigo demonstraremos que a arte se aproxima da filosofia e da educação, pois é impossível filosofar renegando a condição humana, posto que essa ação pretende desvelar o sentido original do ser. Portanto, ao invés de negá-la, é necessário assumi-la. Ao final, debruçados nas pesquisas de Merleau-Ponty, poderemos compreender a árdua tarefa que é defrontar o mistério da sensibilidade na esfera da educação, admitir a arte enquanto tarefa infinita e a filosofia como uma reflexão inacabada, além de identificar as ambiguidades e contradições que permeiam nossas vidas.

Biografia do Autor

Mauricio Bueno da Rosa, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente desempenha atividades em parceria com o Centro Universitário Internacional (UNINTER), onde atua na elaboração de aulas e material didático.

Publicado

2020-08-05

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua